Publicidade

Cuiabá, Segunda-feira 20/05/2019

Brasil - A | + A

são paulo 05.12.2018 | 10h21

MP investiga escola de samba por desvios de verbas do carnaval de SP

Facebook Print google plus

Agência Brasil

Agência Brasil

O MP-SP (Ministério Público de São Paulo) irá ouvir nesta quarta-feira (5) uma das partes envolvidas em um inquérito aberto pelo órgão para investigar supostos desvios de dinheiro público do carnaval de São Paulo pela escola de samba Vai-Vai.

 

A investigação foi aberta no dia 13 de novembro após uma denúncia que protocolou 187 páginas com documentos que serão analisados pelos procuradores.

 

No processo, estão dezenas de ações trabalhistas, comerciais e fiscais que, somadas, resultam em uma dívida de mais de R$ 3 milhões de reais.

 

Para o promotor Paulo Destro, responsável pelo inquérito, a dívida da agremiação é incompatível com os recursos recebidos da prefeitura e indicam o mau uso dos recursos repassados pelo município.

 

"Já mandei um ofício para a Vai-Vai, para a SPTuris, responsável pela organização do carnaval paulistano, para a Liga das Escolas de Samba, que recebe e repassa o dinheiro para as escolas de samba, e para o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, solicitando esclarecimentos sobre o uso e a fiscalização destes recursos", diz Destro.

 

Cada escola de samba do grupo especial do carnaval paulistano, do qual a Vai-Vai faz parte, recebe pouco mais de R$ 1,1 milhão da Prefeitura de São Paulo. O dinheiro é, primeiro, repassado para a Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo, que faz a distribuição dos recursos para as escolas num total de cerca de R$ 32 milhões.

 

 

O promotor espera ainda que este inquérito possa receber denúncias de casos semelhantes em outras escolas de samba. "Não está muito claro como as escolas usam este dinheiro e se a Prefeitura de São Paulo fiscaliza esse uso", afirma o promotor.

 

O R7 procurou a escola de samba Vai-Vai e a Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo, por e-mail e telefone, mas, até a publicação desta reportagem, não obteve resposta. Já a Prefeitura de São Paulo, que também é responsável pela SPTuris, informou por meio de nota que "a fiscalização sobre o uso dos repasses é feita pela SPTuris, por meio de documentos comprobatórios enviados pelas agremiações".

 

A nota afirmou ainda que "as agremiações com dívidas podem receber os repasses da Liga das Escolas de Samba. Contudo, os valores referentes aos processos e dívidas trabalhistas já existentes e com valor definido judicialmente já são descontados do repasse".

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

GD

GD

Publicidade

Enquete

Patinete elétrico virou febre no país. Você teria um?

Parcial

Edição digital

Segunda-feira, 20/05/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21,25 1,43%

Algodão R$ 91,31 -0,35%

Boi a Vista R$ 139,00 0,00%

Soja Disponível R$ 66,50 -1,19%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.