Publicidade

Cuiabá, Domingo 19/05/2019

Brasil - A | + A

dois ex-policiais presos 12.03.2019 | 14h10

O caso não foi encerrado, diz delegado sobre morte de Marielle

Facebook Print google plus

Guilherme Cunha/Alerj

Guilherme Cunha/Alerj

Após a prisão de dois ex-policiais militares acusados da morte de Marielle Franco e Anderson Gomes, a investigação do crime entra em uma nova fase, segundo o delegado Giniton Lages, responsável pela Delegacia de Homicídios da Capital, no Rio de Janeiro. Durante coletiva no Palácio Guanabara, em Laranjeiras, sede do governo Estadual, ele disse que o caso sempre foi prioridade da especializada e que ela segue trabalhando no caso.

 

Leia também - Melhora é incrível, afirma irmão de André D'Lucca

 

“O que a Polícia Civil entrega hoje é a primeira fase, nada foi encerrado. A gente vai entrar em uma fase ainda mais difícil e não podemos errar”, disse o delegado.

 

Lages apresentou na coletiva dados técnicos da investigação, que contou com 47 policiais trabalhando exclusivamente neste caso. Durante o ano de investigação, foram gerados 29 volumes de trabalho, que são pastas com mais de 200 páginas de conteúdo sobre a investigação. Cerca de 16 volumes são de quebras de sigilo e atividades de inteligência. Também foram recolhidos 760 GB de imagens e dados que auxiliaram na investigação.

 

Um dos pontos que dificultou a investigação foi a impossibilidade de as testemunhas que estavam próximo ao local do crime reconhecerem os suspeitos. De acordo com o delegado, três pessoas que viram a execução não podiam identificar os acusados porque eles estavam com capuz e camisa de manga comprida.

 

“As testemunhas não conseguem reconhecer os suspeitos porque eles não saíram do carro”.

 

O governador Wilson Witzel, que também participou da coletiva e parabenizou o trabalho da polícia civil, destacando que a demora no resultado foi devido ao “sucateamento” da corporação.

 

Segunda fase

 

Algumas respostas ainda seguem em aberto e, segundo Lages, ficarão para a segunda fase da investigação, que já foi iniciada. Nessa etapa, os investigadores pretendem descobrir a motivação, o mandante e o destino do carro que foi usado pelo atirador.

 

O titular da DH também afirmou que nenhuma das linhas de investigação apontadas anteriormente pela imprensa será descartada, mas também não confirmou nenhuma delas.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

GD

GD

Enquete

77% dos brasileiros costumam se automedicar. Qual sua opinião?

Parcial

Edição digital

Domingo, 19/05/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 18,25 -4,20%

Algodão R$ 89,56 -0,34%

Boi a Vista R$ 139,00 0,00%

Soja Disponível R$ 72,00 -2,04%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.