Cuiabá, Terça-feira 18/09/2018

Cidades - A | + A

28.11.2017 | 16h16

Adolescente consegue liminares, mas continua sem UTI e família pede ajuda

Facebook Print google plus

Adolescente de 15 anos internado há mais de 2 meses no Hospital Regional de Sinop (500 km ao sul de Cuiabá) corre risco de morte por falta de transferência para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Cuiabá. Vitor Hugo da Silva Castro já conseguiu 2 liminares na Justiça, porém o Estado não cumpriu a decisão e o quadro de saúde do garoto tem se agravado, segundo os familiares.

Reprodução/Facebook

Vitor deu entrada no hospital, no dia 18 de setembro, com quadro de diarreia. A família diz que o garoto deveria ser internado em uma UTI, mas permaneceu na sala vermelha por mais dois dias. Uma falha no sistema de regulação impediu a inclusão do paciente no SUS, ficando fora da fila de espera.

O tio do adolescente e advogado da família, Belmiro Castro, disse que o hospital relatou estar sem condições técnicas para atender o garoto. “Com toda a situação eu entrei com um pedido de liminar solicitando para que ele fosse transferido para qualquer lugar onde tivesse UTI, conforme a necessidade dele, e conseguimos” afirmou Castro.

Para atender a liminar, a unidade reabriu a UTI que estava fechada e internou Vitor no próprio Hospital Regional de Sinop. “Mas passado alguns dias o hospital emitiu um novo relatório médico dizendo que a UTI esta sem condições técnicas para atender o Vitor, porque precisava fazer um exame, estava com hemorragia interna e precisavam descobrir onde. O procedimento especificava que ele precisava de um centro de atendimento mais avançado e a família deveria providenciar a transferência dele”, relata o advogado.

Novamente a família entrou com um novo pedido de liminar. Vitor Hugo chegou a utilizar 6 bolsas de sangue em apenas 1 dia. No dia 17 de novembro, os médicos fizeram uma cirurgia de urgência para encontrar a hemorragia. Na última terça-feira (21) a Justiça concedeu uma nova liminar com a determinação de tratamento adequado, incluindo transferência e internação, de Vitor Hugo num prazo de 24 horas para “um leito de UTI em hospital especializado”.

Quando foi na sexta-feira (24), sem ter a decisão judicial cumprida, o garoto passou outra cirurgia de emergência por conta de uma hemorragia no cérebro. “Ele teve um AVC. Com isso ele ficou sem condições de ser transferidos nas primeiras 46h, mas esse prazo já passou e não temos nenhum retorno, não fala o que ele tem e nem dão um relatório da situação do Vitor. Apenas sabemos que o estado dele é crítico e gravíssimo”, informa Belmiro.

“A mãe está desesperada. Ele chegou andando no hospital e agora não esboça nenhum sinal consciente com os olhos, as mãos, nada. A vida para o Estado não vale nada”, lamenta.

Uma campanha feita através de redes sociais pede ajuda para custear esse período de internação de Vitor Hugo que se alimenta por sonda e precisa de alimento específico, além de medicamentos que o SUS não fornece. Daniela Luciana, mãe do garoto, também está fazendo rifas para angariar fundo e auxiliar no tratamento do filho. Confira aqui página no Facebook

Para entrar em contato com a família para oferecer algum tipo de ajuda entre em contado pelo telefone de Daniela, (66) 9 9684-5302, ou pela avó Maria Pedra, (66) 9 918-4144. Quem puder ajudar a família financeiramente basta fazer depósitos na conta da vó de Vitor Hugo.

Caixa Econômica Federal
Ag: 0854
Op: 013 (poupança)
Conta: 642578-5
Maria Pedra Aguiar Castro (avó de Vitor Hugo).

Outro lado

A Secretaria de Estado de Saúde afirmou que já providênciou a transferência de Vitor Hugo para Cuiabá, mas que a Central de Regulação ainda não encontrou uma vaga para internar o garoto pelo SUS. Acontece que a liminar judicial determina que em caso de não encontrar no sistema de saúde público, deve-se providenciar o atendimento pela rede particular de saúde. 

Voltar Imprimir

Comentários

SILAS ANDRADE BARRETO - 29/11/2017

o que dizer de pais que ordem judicial nao e cumprida quando a ordem judicial e pra tirar alguma coisa de um pobre e cumprida quando a ordem pra salvar vida de um pobre nada e feito isso e uma vergonha !!!!!

jose antonio silva - 28/11/2017

EU JÁ FIQUEI NESSA SITUAÇÃO, MAS GRAÇAS A DEUS TINHA PLANO DE SAÚDE QUE COBRIU AS DESPESAS! FIQUEI EM COMA UM CERTO TEMPO E NÃO SEI EM QUE SITUAÇÃO, ACHO QUE AO COMEÇAR A "ACORDAR" DO COMA, MEIO LÁ, MEIO CÁ E MEIO LÁ , VI E OUVI CERTAS COISAS (ISSO POR VOLTA DE 2006) E FICA NA DÚVIDA SE SERIA REALIDADE OU NÃO, MAS LEVARIAM UMA SENHORA A FAZER UMA CIRURGIA CARDÍACA, NO QUE ELA DISSE QUE NÃO PODERIA POIS TERIA UM EVENTO DE CASAMENTO NOS DIAS PRÓXIMOS E NÃO PODERIA ARCAR COM ÀQUELAS DESPESAS! RETRUCARAM: QUER VIVER, TEM QUE GASTAR! É SÁDICO? É SINISTRO? MAS É ASSIM QUE FUNCIONA A COISA NESSE ESTADO E NESSE BRASIL!

2 comentários

1 de 1

Edição digital

Terça-feira, 18/09/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 25.750 0.780

Algodão R$ 97.760 -0.390

Boi a Vista R$ 129.800 0.000

Soja Disponível R$ 75.150 -0.790

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.