Publicidade

Cuiabá, Quinta-feira 20/06/2019

Cidades - A | + A

tragédia na Valley 08.01.2019 | 18h36

Córneas de cantor sertanejo devem ser doadas para mato-grossense

Facebook Print google plus
Ana Flávia Corrêa

anaflavia@gazetadigital.com.br

Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook

Mãe do cantor sertanejo Ramon Alcides, 25, a empresária Regina Viveiro afirmou por meio de suas redes sociais que as córneas do jovem devem ser doadas para um morador de Mato Grosso.  Ramon faleceu no dia 28 de dezembro,  5 dias depois ser atropelado em frente à casa noturna Valley Pub, em Cuiabá.

 

"A única coisa que eu posso dizer para vocês porque foi me dito é que as córneas dele permanecerão no banco de olhos daqui. Então alguém da nossa terra, ou mais de uma pessoa, não sei como funciona, vai estar olhando o estado que eu tanto amo pelos olhos do meu filho", disse. 

 

No último sábado (5), também pelas redes sociais, ela havia revelado que por vontade do filho seus órgãos seriam doados.

 

"Saber que pedacinhos dele salvarão vidas, secarão lágrimas de pessoas, de mães. Deram oportunidades para mães verem os filhos crescerem, verem os netos, coisa que foi tirada de mim, me dignifica, me alivia. É um patrimônio para alma do meu filho", afirmou. 

 

No dia 23 de dezembro, os jovens saíam da boate quando foram atropelados pela professora Rafaela Screnci, 33. De acordo com a Delegacia de Delitos de Trânsito (Deletran), a condutora da caminhonete trafegava pelo sentido bairro-centro quando atingiu os pedestres.  

 

Eles foram socorridos pela equipe médica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhados para o Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá.      

 

Myllena morreu na hora e os outros 2 ficaram em estado gravíssimo. O cantor sertanejo morreu 5 dias após o acidente com traumatismo craniano. Hya foi a única sobrevivente.   

 

O caso   

 

Depois de atropelar os jovens, Rafaela se negou a fazer o teste do bafômetro e foi encaminhada para o Instituto Médico Legal (IML) para fazer exames clínicos e, em seguida, conduzida para Central de Flagrantes para medidas criminais e administrativas.  

 

A suspeita ganhou liberdade no dia 24 de dezembro, após passar por audiência de custódia. Conforme decisão do juiz Jeverson Quinteiro, Rafaela deve pagar fiança estabelecida em R$ 95, mil. Como medida cautelar, ela teve a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) recolhida, deve comparecer mensalmente em juízo e se recolher rotineiramente nos períodos noturnos e aos finais de semana.

 

Veja vídeo: 

 

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

GD

GD

Publicidade

Edição digital

Quinta-feira, 20/06/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 18,80 -1,05%

Algodão R$ 93,55 -1,51%

Boi a Vista R$ 131,00 0,00%

Soja Disponível R$ 66,20 0,30%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.