Publicidade

Cuiabá, Domingo 25/08/2019

Cidades - A | + A

decisão será em assembleia 01.07.2019 | 07h51

Em reunião ampliada, Sintep sinaliza continuidade da greve

Facebook Print google plus

João Vieira

João Vieira

A reunião ampliada do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), realizada sábado (29), em Cuiabá, avaliou que o documento apresentado pelo governo não apresenta avanços nas pautas inegociáveis para a categoria, como a garantia de imediato dos salários cortados e o cumprimento da Lei 510/2013. Em resposta, a categoria aponta para a Assembleia Geral, que será realizada nesta segunda-feira (29), a continuidade da greve por tempo indeterminado.

 

Leia também - Greve dos professores da rede estadual completa um mês

 

O presidente do Sintep, Valdeir Pereira, afirmou que a condição para o fim da greve é a apresentação de proposta, principalmente no que ser refere ao aumento salarial e pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) de 2018. A decisão das pautas fundamentais foi deliberação da última assembleia da categoria e como não houve avanços sobre os pontos, os profissionais acreditam na manutenção do movimento paredista. 

 

“Como se não bastasse descumprir a Lei, o governo usou de truculência ao cortar o ponto dos profissionais e propor como conciliação o pagamento mediante retorno imediato às aulas”, declarou Pereira. 

 

De acordo com o sindicato, a repercussão dos últimos acontecimentos aponta que os profissionais irão para o enfrentamento apesar do corte de salário. 

 

Audiência de conciliação

Na quinta-feira (27), durante audiência de conciliação com o Sintep-MT, no Núcleo de Solução de Conflitos do Tribunal de Justiça, o Governo do Estado propôs suspender o corte de ponto dos profissionais da educação, paralisados desde 27 de maio, com a condição de que as aulas sejam retomadas nesta semana.

 

Secom-MT

Audiência de conciliação Sintep

 

Na ocasião, o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, declarou que para que o acordo seja efetivado, os professores deverão retornar às salas de aulas na terça-feira (02). “A proposta foi de que o Governo irá repor até o dia 20 de julho, 50% dos pontos que foram descontados e até o dia 10 de agosto, o restante. Mas desde que eles cumpram o ano letivo ainda em 2019”, pontuou. 

 

Caso não seja aprovada pelo Sintep, a proposta será retirada da pauta, para outra negociação que possa surgir no futuro. 

 

Durante a audiência, o Executivo estadual reforçou a necessidade de entendimento da categoria para a questão financeira do Estado, destacando que o cumprimento da Lei 510/2013 só será possível quando for alcançado o limite de 49% de gasto com pessoal da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).  

 

Conhecida como Lei da Dobra, a legislação prevê reajuste salarial de 7,69%, em 2019, e é a principal reivindicação do movimento.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Jornal do Meio Dia - JM

Jornal do Meio Dia - JM

GD

GD

Enquete

Qual sua opinião sobre a indicação de Eduardo Bolsonaro ao cargo de embaixador do Brasil nos EUA?

Parcial

Edição digital

Domingo, 25/08/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,05 1,52%

Algodão R$ 94,21 0,53%

Boi a Vista R$ 137,10 0,07%

Soja Disponível R$ 65,00 0,15%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.