Publicidade

Cuiabá, Domingo 19/05/2019

Cidades - A | + A

09.03.2018 | 12h20

Irritado, artista interdita escultura na Salgadeira

Facebook Print google plus

Atualizada às 17h55 - Artista plástico Jonas Corrêa, um dos mais conceituados de Mato Grosso, cobriu com uma lona preta o Monumento Carta da Terra, uma das obras dele, instalada no Complexo da Salgadeira, na divisa entre os municípios de Cuiabá e Chapada dos Guimarães, na manhã desta sexta-feira (9), em protesto por ela ter sido restaurada por outro artista.

Lidiane Barros

O restauro da obra foi pago pelo Colégio Isaac Newton (CIN), que deixou sua marca no "pé" da escultura.

O artista chegou a ter uma discussão com o secretário de Estado de Cidades, Wilson Santos, que esteve no local esta manhã, para uma visita às obras de recuperação do ponto turístico, e divulgar a data de reabertura do Complexo, 8 de abril, aniversário de Cuiabá. Wilson pediu que o artista retirasse a lona e ele resistiu, disse que não tiraria.

Gazeta Digital

Estátua na praça da República denuncia que a justiça devia ser para todos

A escultura é de 5 crianças de mãos dadas envolvendo o globo terrestre. A mensagem que passa é a de que é preciso preservar o planeta, respeitando o meio ambiente e os direitos humanos das sociedades.

Wilson Santos disse que o Estado não tem nada a ver com a restauração do monumento. "Não está no escopo da obra e só torcemos para que o artista e o Colégio Isaac Newton cheguem a um consenso e ponham um ponto final nisso", resumiu o secretário.

CIN

Diante da polêmica, o CIN emitiu nota. Confira a íntegra.

"A direção do Colégio Isaac Newton informa que recebeu, há pouco mais de 30 dias, pedido do Governo do Estado para restauração do monumento, que foi uma doação da escola para o Estado há cerca de 20 anos. A restauração deveria ficar pronta para a inauguração da obra de revitalização da salgadeira. A escola tentou vários contatos com o artista, sem sucesso. Como o prazo era curto, a direção do CIN recorreu a outro artista regional para que fizesse a restauração, mantendo, no entanto, a sua originalidade justamente em respeito ao autor."

O artista

Polêmico, Jonas, que atualmente mora em Curitiba, é o artista que, em 1995, jogou tinta preta na estátua da deusa Themis da Justiça que ele mesmo fez para ilustrar o Fórum da Capital, mas, na época, não recebeu o valor combinado com o Judiciário. Vítima do que considerou ser um "calote", foi acusado de vandalismo.

Gazeta Digital

Homenagem aos 3 executados no Beco do Candeeiro

Ele também é autor da estátua na praça da República, que denuncia que a justiça deveria ser para todos e não somente para pobres, e também da estátua na praça do Beco do Candeeiro, com as figuras simbólicas dos 3 meninos executados no local, um crime que, 20 anos depois, ainda não está esclarecido.

Agora, o artista defende que tem direitos autorais sobre o Monumento Carta da Terra, na Salgadeira, e que outro artista não poderia ter restaurado obra de artista vivo.

A Secid está intermediando um encontro entre o artista e a direção do colégio.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

GD

GD

Enquete

77% dos brasileiros costumam se automedicar. Qual sua opinião?

Parcial

Edição digital

Domingo, 19/05/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21,25 -0,70%

Algodão R$ 119,75 0,53%

Boi a Vista R$ 136,00 0,37%

Soja Disponível R$ 66,40 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.