Publicidade

Cuiabá, Terça-feira 23/07/2019

Cidades - A | + A

Acusações de Arcanjo 19.06.2019 | 20h01

Quem não tem argumentos, ataca o investigador, se defende Stringuetta

Facebook Print google plus

Otmar de Oliveira

Otmar de Oliveira

Acusado por João Arcanjo de ter interesses eleitoreiros, o delegado Flávio Stringuetta afirmou que está tranquilo quanto ao trabalho realizado pela equipe e que “quando o investigado não tem bons argumentos para se defender, ataca o investigador”.

 

Stringuetta foi um dos responsáveis pelas investigações da Operação Mantus, deflagrada em 29 de maio e que investigou lavagem de dinheiro e jogo do bicho. Na ação foram presos Arcanjo, seu genro Giovani Zem e outros 30 acusados.

 

Leia também - Stringueta tem interesse político, acusa defesa de Arcanjo

 

No pedido de habeas corpus, a defesa do comendador afirma que o delegado “chegou ao extremo de arrumar palanque popular no dia do interrogatório de João Arcanjo Ribeiro” e que “os delegados encarregados das investigações tornaram pública e notória essa perversa utilização de sua pessoa [Arcanjo] para servir ao inquérito”.

 

Para o delegado, a acusação não causa estranheza, pois esse tipo de reação costuma ocorrer quando não há argumentos sólidos para a defesa. “Não atuei na investigação, só na execução, pois as investigações ocorreram de agosto de 2017 a fevereiro/março de 2019 e eu entrei no GCCO em janeiro, ou seja, fiquei fora de 95% da investigação”.

 

Stringuetta enfatizou que atuou apenas pelo interesse público e que “não estou filiado a nenhum partido e nem tenho interesse. E se tivesse interesses eleitorais, como ele disse, ainda faltam 3 anos, não seria hora para fazer campanha política”.

 

Sobre a acusação de que não há provas concretas para o pedido de prisão, o delegado ironizou a situação. “Se não tem provas, então ele está muito bem e deve sair logo. Mas não acredito nisso”.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

augusto - 20/06/2019

PARECE QUE SE ESTÁ EM UM MOMENTO MUITO DIFÍCIL, A DEFESA TEM SE DEFENDER NO PROCESSO E DA IMPRENSA QUE POSSIBILITA O DEBATE FORA DOS AUTOS, TUDO DECORRE DA OMISSÃO DA OAB QUE VÊ OS DIREITOS DOS ADVOGADOS SEREM VIOLADOS E NADA FAZ. AO CONTRARIO DIZEM QUE ATÉ ESTIMULA. A ATIVIDADE DO DELEGADO ENCERROU COM A REMESSA DO INQUERITO AGORA VAI ACOMPANHAR A AÇÃO PENAL E DEBATER COM AS TESES DE DEFESA E DEPOIMENTO DO RÉU?

1 comentários

1 de 1

GD

GD

Enquete

Sobre a possível liberação de recursos das contas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS)

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 23/07/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,80 2,59%

Algodão R$ 91,99 -1,10%

Boi a Vista R$ 135,35 0,26%

Soja Disponível R$ 65,49 -0,67%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.