Publicidade

Cuiabá, Terça-feira 23/07/2019

Cidades - A | + A

14.07.2016 | 15h46

Seduc está fechada e vídeo revolta pais

Facebook Print google plus

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) permanece nesta quinta-feira (14) com os portões abertos apenas para os servidores do órgão. A noite de quarta (13) já foi conturbada depois de as barracas e demais pertences dos grevistas, que estavam no pátio da Seduc desde o dia 5 de julho, terem sido apreendidos pela Polícia Militar.

João Vieira

Portões da Seduc fechados e acampamento dos grevistas, que estava no pátio, vai para a calçada da frente.

“Não são medidas que tentam nos intimidar que vão nos fazer recuar na greve”, informa Henrique Lopes, presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público (Sintep-MT), sugerindo que essa foi uma nova forma de retaliação do governo do Estado com os servidores da Educação que estão em greve há 45 dias.

Ontem o Sintep-MT protocolou a decisão da última assembléia geral da categoria que decidiu pela manutenção da greve. Na manhã de hoje, conforme relato de Henrique Lopes, quando grevistas chegavam à Secretaria para permanecer no acampamento, como tem sido feito desde o início deste mês, se depararam com os portões trancados e Policiais Militares impedindo a entrada deles.

“Nós não vamos entrar em confronto. Desde a última audiência com o secretário (Marco Aurélio Marrafon) deixamos claro a forma como fazemos nossos atos, que é virmos diariamente ao acampamento montado na secretaria”, diz Lopes, que complementa afirmando que tem medo de as coisas começarem a tomar outro rumo, que não o pacífico.

João Vieira

Servidores mantêm ocupação em frente à Seduc.

“Essa atitude comprova que o governo quer resolver de maneira não institucional. O Sintep e nossa relação com o governo são institucionais, e assim esperamos que seja a resposta dele para conosco”, finaliza.

Os servidores mantêm a mobilização em frente à Seduc. O Sintep-MT garante que amanhã (15) de manhã fará um ato no mesmo local.

 

Outro lado
A Seduc, por meio de nota, informa que o acesso está permitido tanto para servidores como para a sociedade que precisa dos serviços da pasta. Não está permitida a entrada dos manifestantes, porque ontem eles boicotaram a entrada dos servidores na secretaria. Quem saía não entrava, eles se posicionaram na porta de acesso ao prédio.

Também de acordo com a nota, o documento que o Sintep protocolou nesta quarta-feira, o ato de manifestação seria no dia 15, mas anteciparam para o dia 13.

 

A medida de controle de acesso será mantida.

 

Informação sobre corte de 13º e férias 'agita' categoria no interior 

Chegou à redação do GD um vídeo gravado em uma escola no interior do Estado, onde crianças, pais e mães pedem o retorno dos trabalhadores à unidade e volta das aulas, e funcionárias vestindo camisetas do Sintep-MT tentam argumentar expondo as pautas da greve.

Em determinado momento, uma delas afirma que um dos motivos que justificam a greve é o corte de direitos trabalhistas assegurados na Consolidação das Leis de Trabalho: 13º salário e férias.

“Nós precisamos do apoio dos pais porque é um momento crucial para o nosso estado hoje. E vocês, por acaso, já estão sabendo que vai acabar 13º e férias?”, diz a representante do Sintep.

Sintep nega

O presidente do Sintep-MT afirma que “não existe orientação da diretoria para esse tipo de manifestação, nem para propagação dessa informação”.

Veja o vídeo

Leia a nota da Seduc na íntegra

A Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) solicitou apoio da polícia civil, no início da noite de quarta-feira (13.07) para retirada das barracas que estavam em situação de abandono no pátio da Secretaria, causando transtornos administrativos. Todo o material foi contabilizado na presença de 13 testemunhas e encaminhado ao Cisc Planalto. A medida foi tomada como precaução, evitando o sumiço de algum pertence.

No entanto, ao chegar na delegacia do Planalto, representantes do Sintep já estavam lá. O delegado plantonista (Richard) disse que já iria liberar o material uma vez que bastava um representante, e este, já estava no local.

Foi confeccionado Boletim de Ocorrência sobre o fato.

Quanto à entrada da Secretaria, o acesso é permitido tanto para servidores como para a sociedade que precisa dos serviços da Seduc. Dessa forma, os portões são abertos constantemente conforme a entrada das pessoas. Não está permitida a entrada dos manifestantes, que se acomodam do lado externo da Seduc. Isso porque ontem eles boicotaram a entrada dos servidores na Seduc. Quem saia não entrava, eles se posicionaram na porta de acesso ao prédio.

De acordo com o documento que o Sintep protocolou na Seduc, ontem, eles diziam que o ato de manifestação seria no dia 15, mas anteciparam para o dia 13.

Na questão da ocupação, tem o fator legal, previsto no Código Civil, que especifica sobre os bens de uso comum do povo, como ruas e praças que podem ser ocupados. Trata também dos bens especiais que são os espaços públicos, que não podem ser invadidos, pois, além de documentos sigilosos que estão em responsabilidade, neste caso da Seduc, existem servidores de mais idade que podem ter problemas de saúde diante da situação de insegurança, gerada pelos manifestantes.

A medida de controle de acesso ao prédio da Seduc será mantida.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

JOÃO BATISTA ARAÚJO - 15/07/2016

Bem amigos da Educação, Eu sou professor e não estou professor, já fui professor, deste mesmo sistema estadual de ensino, da rede particular de ensino, já estive de greve, já participei ativamente das greves, isso se deus entre os anos de 1988 até 1994. Naquele tempo, o salário não dava para atender as necessidades básicas, o salário atrasava até 7 meses, grevem duraram meses. O problema é cultural, essa gente não precisa de professores. Sabe o que fiz?? Na quadra do Colégio Presidente Médici, tomei uma decisão, Não serei mais professor, pois para ser professor, tem que submeter a essa turma que é analfabeta mas tem o poder nas mãos, tem a chave do cofre nas mãos, tem a caneta nas mãos. Nunca mais fui professor, e fui feliz para sempre.

1 comentários

1 de 1

GD

GD

Enquete

Segundo o presidente Jair Bolsonaro, é melhor ter menos direitos e ter emprego do que ter muitos direitos e não ter emprego

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 23/07/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21,20 0,71%

Algodão R$ 93,54 -1,51%

Boi a Vista R$ 131,80 0,42%

Soja Disponível R$ 69,60 -0,71%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.