Cuiabá, Segunda-feira 10/12/2018

Cidades - A | + A

Plástica para todos 06.12.2018 | 15h10

Sindicância do CRM para investigar morte de servidora tem previsão de demorar 6 meses

Facebook Print google plus
Ana Flávia Corrêa

anaflavia@gazetadigital.com.br

Otmar de Oliveira/Montagem

Otmar de Oliveira/Montagem

Sindicância instaurada pelo Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT) para apurar morte da servidora pública Ivone Alves de Almeida, 67, no dia 20 de novembro deste ano, deve durar 180 dias. Ela morreu após ter passado por um procedimento estético de lipoaspiração pelo programa Plástica Pra Todos, no Hospital Militar de Cuiabá.

 

O processo é sigiloso e está na fase de colher informações e ouvir as partes. Depois do tempo previsto os conselheiros devem decidir se arquivam a sindicância ou se instauram Processo Ético Profissional (PEP) contra os médicos responsáveis pela cirurgia. Datado de 21 de novembro, o documento foi assinado pelo vice-presidente do conselho, o médico Pedro Luiz Reis Crotti. 

 

Leia também - Servidora morre após fazer cirurgia pelo programa Plástica Para Todos

 

"O Conselho Regional de Medicina do Estado de Mato Grosso, em virtude de notícias veiculadas pela imprensa  sobre o atendimento médico-hospitalar que envolveu a paciente Ivone Alves de Almeida, informa que foi instaurada sindicância para apuração dos fatos, de acordo com as normas legais", diz.   

 

A causa da morte de Ivone teria sido uma embolia pulmonar decorrente do deslocamento de um coágulo preexistente no pulmão, que afetou todo o organismo, de acordo com informações da própria empresa.   

 

Ivone foi a 2ª pessoa que morreu em Cuiabá ao procedimento cirurgico por meio do programa Plástica Para Todos. Em maio deste ano, Edléia Daniele Ferreira Lira, 33, morreu depois de fazer uma cirurgia de redução de seios e lipoescultura.     

 

A Sociedade Mato-grossense de Anestesia (Soma) denunciou ao CRM e ao Ministério Público Estadual (MPE) mais dois casos de pacientes que sofreram complicações ao passarem por procedimentos estéticos. Na ocasião, a empresa foi interditada.

 

Em outubro deste ano, no entanto, o CRM optou em plenária por desinterditar os serviços da empresa mediante seu registro no conselho autorizando a retomada das cirurgias.   

Voltar Imprimir

Comentários

Mm - 06/12/2018

Agora mulherada vão lá e marquem as cirurgias!Cada um dia nós tem o livre arbítrio. Vc poderá escolher por ficar com este grupo ou não.

1 comentários

1 de 1

Chico Ferreira

Chico Ferreira

GD

GD

Enquete

Qual o futuro do Partido dos Trabalhadores?

Parcial

Edição digital

Segunda-feira, 10/12/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,60 0,49%

Algodão R$ 92,41 -0,32%

Boi a Vista R$ 135,17 -0,35%

Soja Disponível R$ 76,20 1,06%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.