Cuiabá, Quinta-feira 18/10/2018

Judiciário - A | + A

09.02.2018 | 10h20

Aliado de Silval contesta defesa de prefeito sobre maços de dinheiro

Facebook Print google plus
João Vieira

Silvio Côrrea prestou novo depoimento à PF e contestou a versão da defesa de Pinheiro

O chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa, Sílvio Cezar Correa Araújo, reafirmou a Polícia Federal que o dinheiro entregue por ele ao prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), não era destinado ao pagamento de uma dívida contraída junto a empresa do irmão do político, como alega o peemedebista. A informação consta em um relatório parcial da PF, com os avanços das investigações em decorrências das delações de Sílvio, Silval e outras três pessoas. Para fechar o acordo com a Procuradoria-Geral da República (PGR), o ex-chefe de gabinete entregou gravações de diversos políticos recebendo, dentro do Palácio Paiaguás, um suposto “mensalinho”.

A defesa de Emanuel, embora não tenha lido o documento com as informações, pontuou que o dinheiro se tratava realmente da dívida e que juntará ao processo dezenas de provas da relação comercial.

De acordo com o relatório, a Polícia Federal decidiu reinterrogar Araújo depois de analisar um documento, apreendido na casa de Pinheiro, assinado por Valdecir Cardoso, que auxiliou o chefe de gabinete a gravar os políticos. Na declaração, reconhecida em cartório, Cardoso afirma que os valores recebidos por Pinheiro não tinham relação com a suposta propina, mas sim com a quitação de uma dívida por serviços de pesquisas eleitorais que Silval teria com o irmão do prefeito.

Por conta disso, em 23 de novembro, Sílvio foi novamente ouvido a respeito deste episódio. A PF, explicou que as imagens foram gravadas no final de 2013 e que a prestação do serviço pelo irmão de Pinheiro ocorreu apenas em 2014. Estes serviços, segundo o chefe de gabinete, foram pagos com cinco cheques, cada um de R$ 40 mil, apenas em meados de novembro de 2014.

Os cheques acabaram protestados, conforme informação encaminhada por cartório. Tanto o relatório quanto as cópias dos cheques estão juntadas no inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar o caso. Ao final do relatório, o delegado da PF Wilson Rodrigues de Souza Filho esclarece que este e outros fatos ainda dependem de mais diligencias para serem confirmados.

Advogado do prefeito, André Stumpf destaca que não teve acesso ao relatório até o momento. No entanto, reafirma que o dinheiro entregue por Sílvio a Emanuel Pinheiro se trata do pagamento de parte da dívida do irmão do prefeito, que será comprovada com documentos mostrando a prestação de diversos serviços de pesquisa ao ex-governador Silval Barbosa.

Voltar Imprimir

Comentários

Enquete

Qual sua expectativa sobre os políticos que vão ocupar o Congresso Nacional?

Parcial

Edição digital

Quinta-feira, 18/10/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 24,15 -0,41%

Algodão R$ 98,02 -0,95%

Boi a Vista R$ 135,00 -0,37%

Soja Disponível R$ 72,00 -0,69%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.