Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 23/08/2019

Judiciário - A | + A

guerra de competências 25.02.2019 | 13h26

Assembleia recorre para suspender liminar e nomear Maluf

Facebook Print google plus

Chico Ferreira

Chico Ferreira

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) ingressou com pedido para suspender liminar que proíbe a nomeação do deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB) como conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Documento assinado pelo procurador-geral do Poder Legislativo, Grhegory Maia, vazou nesta segunda-feira (25).

 

O presidente da Casa de Leis, Eduardo Botelho (DEM), afirmou que a mesa diretora ainda decidiria sobre o recurso. Porém, a assessoria do Tribunal de Justiça confirmou protocolo de entrada, ou seja, o recurso foi entregue ao Judiciário. 

 

Leia também - PSDB domina as indicações ao Tribunal de Contas de MT

 

De acordo com o documento vazado, a decisão do juiz Bruno D’Oliveira, que suspendeu a nomeação e posse de Maluf, seria inválida. No dia 18 de fevereiro uma ação popular em nome de Cláudio Roberto Natal Júnior, propondo que os deputados Max Russi (PSB) e Guilherme Muluf fossem impedidos de ocupar o cargo de conselheiro do TCE, foi distribuída à juíza Célia Regina Vidotti, que também atua na Vara Especializada em Ação Civil Pública e Ação Popular de Cuiabá. Caberia a ela decidir sobre o tema.

 

O Legislativo ainda afirma ser polo passivo da decisão, já que o processo de escolha teve a participação dos 24 deputados estaduais "representantes do povo, eleitos, democraticamente e que, após muitas discussões e um procedimento transparente - televisonado como nunca antes - entenderam por nomear um de seus pares ao Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso", diz trecho do recurso.

 

Para o Legislativo, recorrer da decisão que suspendeu a nomeação e posse de Maluf, não é uma defesa individual do parlamentar, e sim uma defesa do "ato legislativo e seus pressupostos".

 

O Ministério Público conseguiu na sexta-feira (22) decisão liminar que impede a nomeação de Maluf ao cargo de conselheiro. Conforme a decisão, o governador  Mauro Mendes (DEM) e o presidente do TCE, Gonçalo Domingos de Campos Neto, deverão se abster de nomear e dar posse ao parlamentar.

Na liminar, o juiz Bruno D´Oliveira Marques sustenta que o deputado indicado para a vaga de conselheiro não atende aos critérios exigidos pela Constituição Federal:  conduta ilibada e  notório conhecimento jurídico, contábil, econômico e financeiro ou de administração pública.

“Não pode ser considerado dono de reputação ilibada aquele sobre o qual pesa não só um processo judicial, mas também um processo administrativo de tomada de contas que visa apurar a malversação de dinheiro público”, afirmou o magistrado.

Bruno acrescentou que “a qualidade de médico ou mesmo o exercício de mandato legislativo, não comprovam, por si, ser detentor de notório conhecimento jurídico, contábil, econômico e financeiro ou de administração pública, requisito exigido pelo art. 49, inciso II, Constituição Federal”.

O MPE ressalta que Guilherme Maluf foi denunciado pela prática, em tese, de 23 crimes, apurados na operação Rêmora realizada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco). Pontua também que o requerido é alvo de processo no próprio Tribunal de Contas no qual almeja assento. “O TCE visualizou sobrepreço na aquisição de solução integrada de segurança de rede; assinalando que o valor obtido pela Assembleia, no Pregão 08/2018 seria 12 vezes maior do que o obtido pela equipe técnica, tendo sido o processo convertido em tomada de contas”, diz a ação.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Qual seria o maior avanço da ciência?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 23/08/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 18,15 -0,27%

Algodão R$ 91,16 0,35%

Boi a Vista R$ 128,67 0,23%

Soja Disponível R$ 70,60 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.