Cuiabá, Sábado 15/12/2018

Judiciário - A | + A

SODOMA 5 08.11.2018 | 10h51

Ex-secretário fecha acordo de delação premiada envolvendo crimes na gestão Silval

Facebook Print google plus

João Vieira

Valdísio Juliano Viriato

Valdisio Viriato na época em que foi preso, em fevereiro de 2017, e levado ao IML de Cuiabá para exame de corpo delito

Ex-secretário adjunto da Secretaria de Transportes e Pavimentação Urbana de Mato Grosso (Setpu), Valdísio Juliano Viriato, fechou acordo de delação premiada com o Ministério Público Estadual (MPE), fatos relatados na ação penal oriunda da 5ª fase da Operação Sodoma.

 

Leia também - Empresário vai direto para a prisão e amanhã depõe - Veja vídeo

 

A 5ª fase da Sodoma desvendou fraudes em licitação, desvio de dinheiro público e pagamento de propinas, realizados pelos representantes da empresa Marmeleiro Auto Posto e Saga Comércio Serviço Tecnológico e Informática, em benefício da organização criminosa comandada pelo ex-governador Silval Barbosa. Na época, Valdisio estava em Santa Catarina, quando preso em sua residência e depois recambiado para Cuiabá.

 

A revelação sobre nova delação consta no pedidou do próprio MPE, que solicitou ao juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues ato de anexar aos autos a cópia do termo de acordo de colaboração premiada, "visto que nos autos consta apenas o anexo relativo aos fatos objeto da ação penal", diz trecho do pedido.

Diante da colaboração, o próprio ex-secretário solicitou que fosse dispensado das audiências com testemunhas, "ressalvando que o acusado comparecerá perante este juízo para ser interrogado no dia designado. Requereu, ainda, a homologação da desistência das testemunhas arroladas na resposta à acusação".

 

Com a dispensa, Valdísio Viriato será interrogado no dia 12 de dezembro.

 

5ª fase Sodoma

 

Conforme o Ministério Público, uma organização criminosa liderada pelo ex-governador Silval Barbosa teria cobrado propina de empresários, entre os anos de 2011 e 2014, para fraudar licitações e manter contratos de fornecimento de combustível, para a frota do governo do estado, e com uma empresa de informática.

 

Ao todo, o grupo teria, segundo o MPE, desviado R$ 8,1 milhões das secretarias de Administração (extinta SAD e atual Secretaria de Gestão) e de Transporte e Pavimentação (extinta Setpu e atual Secretaria de Estado de Infraestrutura).

 

Na ação penal da Sodoma 5, são réus, além de Viriato: o ex-governador Silval Barbosa; os ex-secretários de Estado Francisco Faiad, Cesar Zílio e Pedro Elias, o ex-chefe de gabinete de Silval, Silvio Cesar Corrêa Araújo, o ex-secretário adjunto de Administração, José de Jesus Nunes Cordeiro, os empresários Juliano Cezar Volpato e Edézio Corrêa, e os ex-servidores da Secretaria de Transportes, Alaor Alves Zeferino de Paula e Diego Pereira Marconi.

Voltar Imprimir

Comentários

Chico Ferreira

Chico Ferreira

GD

GD

Enquete

Projeto de lei aumenta em quatro vezes pena de maus tratos contra animais

Parcial

Edição digital

Sábado, 15/12/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,55 0,26%

Algodão R$ 91,23 -0,12%

Boi a Vista R$ 136,40 -0,68%

Soja Disponível R$ 72,50 -0,82%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.