Publicidade

Cuiabá, Domingo 15/09/2019

Judiciário - A | + A

23 anos presos 22.08.2019 | 16h31

Júri condena casal que matou homem por 'fofoca' da esposa

Facebook Print google plus

MPMT

MPMT

O casal Jerri Adriano da Silva Alves e Maria Estela dos Santos foi condenado a 23 anos de prisão pelo assassinato de Wilson Teodoro de Souza e tentativa de homicídio contra Marineide Novaes Souza. O julgamento foi realizado na quarta-feira (21), em Rondonópolis (215 km de Cuiabá), 8 anos após o crime que teria sido motivado por fofoca. Segundo o processo, Jerri teria descoberto que Wilson disse que manteve relações sexuais com Maria Estela.

 

Leia também - Valtenir usava 'laranjas' em esquema de propina, diz PF

 

Durante o júri popular presidido pelo juiz Wagner Plaza Machado Junior, a acusada negou a autoria do crime e o companheiro disse que agiu em legítima defesa. Os argumentos das defesas não convenceram os jurados que votaram pela culpa de ambos.

 

“O presidente, depois de franqueado a entrada no recinto do Tribunal do Júri, às portas abertas, publicou sua sentença, qual condenou o réu Jerri Adriano Da Silva Alves a uma pena total de definitiva em 16 anos de reclusão, em regime fechado, de igual modo condenou a denunciada Maria Estela Dos Santos a uma pena total de 7 anos de reclusão em regime semiaberto. Em sentença, foi decretada a prisão dos réus”, diz parte da sentença.

 

Conforme os autos, o crime aconteceu em janeiro de 2011, em um bar da Rodovia do Peixe. Wilson estava no bar com a esposa e os acusados também frequentavam o local. O acusado, armado, foi até a vítima e ambos passaram a se agredir fisicamente.

 

Enquanto os demais clientes tentavam separar a briga, a arma caiu no chão e Maria Estela pegou. Ela então atirou contra Wilson, que se desvencilhou e tentou fugir. Nesse meio tempo, Jerri pegou a arma da companheira e correu atrás da vítima, passou uma “rasteira” e a derrubou. Em seguida atirou na cabeça do homem e esfregou seu rosto no chão com o pé para ter certeza que estava morto, como narra a denúncia do Ministério Público Estadual.

 

Durante a confusão, a vítima Marineide foi atingida por um tiro na perna. Ela estava nas proximidades do bar e não tinha relação com a desavença entre Jerri, Maria Estela e Wilson.

 

A dupla fugiu em seguida e foi presa posteriormente. Quando foram beneficiados com o regime semiaberto sob imposição de medidas cautelares, foi informado ao MPE que Jerri estaria ameaçando testemunhas e ele foi recolhido novamente.

 

Conforme a ação “tais fatos ocorreram em virtude de uma suposta afirmação que a vítima Wilson Teodoro teria feito dias antes, alegando já ter tinha mantido relações sexuais com a acusada Maria Estela”.

 

Jerri irá cumprir pena em regime fechado. Ele tem condenação por tráfico e associação para o tráfico. Maria Estela não tem outras passagens criminais e ficará em regime semiaberto.

 

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Jornal do Meio Dia - JM

Jornal do Meio Dia - JM

GD

GD

Enquete

Turismo internacional cresce no mundo, mas recua no Brasil segundo a Organização Mundial do Turismo. Qual a principal causa?

Parcial

Edição digital

Domingo, 15/09/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,52 -1,63%

Algodão R$ 121,48 0,52%

Boi a Vista R$ 136,63 1,58%

Soja Disponível R$ 73,20 -1,08%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.