Cuiabá, Sábado 23/03/2019

Judiciário - A | + A

Homicídio em fazenda 07.01.2019 | 07h20

Juiz diz que proprietário pode defender seu patrimônio e solta seguranças de Riva

Facebook Print google plus
Arthur Santos da Silva

arthur@gazetadigital.com.br

João Vieira

João Vieira

Os quatro seguranças da empresa Unifort, presos em flagrante pela polícia em Colniza (1.016 km a noroeste de Cuiabá) após homicídio constatado na fazenda Bauru, área sob posse do ex-deputado estadual José Riva, foram soltos durante a noite de domingo (6) por ordem do juiz plantonista Alexandre Sócrates Mendes.  

 

Leia também - Polícia descarta confronto e prende seguranças de Riva por homicídio em fazenda

 

Na decisão o juiz afirmou que “a tragédia ocorreu por comportamento abusivo e ilegal dos posseiros” , que não respeitaram a decisão judicial que os impedia de chegar próximo aos limites da fazenda.   

 

O magistrado ainda deixou consignado que o ordenamento jurídico autoriza o proprietário a exercer a autodefesa de seu patrimônio.  Por tais razões, o juiz considerou o flagrante ilegal e relaxou as prisões.   

 

Os vigilantes já estão soltos e tiveram que sair da delegacia escoltados pela polícia por receio de sofrerem emboscada.   

 

Em contato do com a defesa dos integrantes da empresa de segurança Unifort, o advogado  Valber Melo confirmou que ainda no domingo, durante a noite, os 4 vigilantes foram liberados.   

 

O caso   

 

A Polícia Civil realizou na madrugada de domingo a autuação em flagrante de 4 seguranças da Fazenda Bauru, local em que uma pessoa morreu e 9 ficaram feridas após suposto confronto agrário, na manhã de sábado.     Detidos pela Polícia Militar, os funcionários contratados por Riva foram interrogados e afirmaram que reagiram a invasão da fazenda, realizada por posseiros supostamente armados.      

 

Em depoimento, alguns dos feridos declaram que nenhum dos posseiros portava arma de fogo. De acordo com o delegado Alexandre Nazareth, “os elementos de informação produzidos pela perícia, até o momento, nos levam a acreditar que não houve confronto armado, pois só foram encontradas cápsulas de armas de mesmo calibre dos seguranças da propriedade”.   Foram apreendidas 4 armas de fogo, sendo uma espingarda calibre 12, duas pistolas 380, e um revólver, calibre 38.   

 

Os suspeitos foram autuados em flagrante por um homicídio consumado e 9 tentativas de homicídio.   

 

A vítima fatal do confronto foi identificada como Elizeu Queres de Jesus, 38, e veio a óbito ainda no local, após ser atingida por diversos disparos de arma de fogo.     

 

O confronto agrário entre posseiros e seguranças da Fazenda Bauru (antiga Magali) ocorreu no início da manhã de sábado (5).    

Voltar Imprimir

Comentários

Chico Ferreira

Chico Ferreira

GD

GD

Enquete

Os esforços do Papa Francisco para acabar com a pedofilia na igreja católica serão bem sucedidos?

Parcial

Edição digital

Sábado, 23/03/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,45 0,78%

Algodão R$ 93,37 0,03%

Boi a Vista R$ 135,50 0,00%

Soja Disponível R$ 68,20 -0,15%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.