Cuiabá, Terça-feira 23/10/2018

Judiciário - A | + A

05.12.2017 | 12h05

Ministro autoriza Rogers a apresentar trabalho na Acadepol

Facebook Print google plus

O ministro Mauro Campbell, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), autorizou o ex-secretário de Estado de Segurança Pública, o delegado Rogers Elizandro Jarbas, a comparecer à sede da Academia de Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso (Acadepol) na próxima quinta-feira (7), para apresentar seu trabalho de conclusão de curso de pós-graduação em Gestão em Segurança Pública.

A decisão foi proferida no último dia 1º e publicada nesta terça-feira (5). O deferimento do pedido formulado pela defesa de Rogers conta com parecer favorável do Ministério Público Federal (MPF).
A data para apresentação do trabalho acadêmico foi designada e comprovada nos autos pela banca de avaliação da Acadepol.

A petição do ex-secretário consta no inquérito que apura o esquema de interceptações telefônicas ilegais supostamente praticadas pelo alto escalão do governo e da Polícia de Mato Grosso. O caso tramitava no Tribunal de Justiça, mas, após pedido do governador Pedro Taques (PSDB), que é acusado de prevaricação pelo promotor de justiça Mauro Zaque, denunciante do escândalo, foi remetido ao STJ.

O pedido do ex-secretário se justifica pelo fato de estar submetido à diversas medidas cautelares, como a proibição de frequentar qualquer estabelecimento do governo ou da Polícia Civil.

Rogers Jarbas foi alvo por duas vezes de operações ligadas à chamada “grampolândia pantaneira”. No dia 20 de setembro, ele foi afastado do cargo de secretário de Segurança Pública do Estado pelo desembargador Orlando Perri, por conta da acusação de obstrução de justiça. Na ocasião, ele foi submetido ao uso de tornozeleira eletrônica. Em seguida, o delegado também foi exonerado da Sesp.

Uma semana depois, Rogers foi preso preventivamente na operação Esdras, juntamente com outros membros do alto escalão do governo, novamente pela acusação de obstrução de justiça, ou seja, tentativa de atrapalhar as investigações sobre os grampos ilegais. 

A prisão preventiva acabou sendo revogada após a remessa dos autos ao STJ, que substituiu aprisão por medidas cautelares, como a proibição de manter contato com demais investigados, frequentar órgãos do governo e recolhimento noturno.

Voltar Imprimir

Comentários

GD

GD

Enquete

O país vai voltar a se unir após as eleições?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 23/10/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,30 -2,40%

Algodão R$ 94,58 -0,47%

Boi a Vista R$ 133,15 -0,63%

Soja Disponível R$ 70,00 0,00%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.