Cuiabá, Sexta-feira 19/10/2018

Judiciário - A | + A

07.02.2018 | 10h22

Pedido de soltura de Zaqueu e Gerson serão julgados na sexta

Facebook Print google plus

O juiz Murilo Moura Mesquita, da 11ª Vara Criminal Militar, dará início na próxima sexta-feira (9), às 8h30, às audiências de instrução e julgamento de quatro coronéis e um cabo da Polícia Militar acusados de participar do esquema de interceptação telefônica ilegal e obstrução à justiça no caso, que ficou conhecido como “grampolândia pantaneira”.

São réus na ação penal, que tramita em sigilo, os coronéis Zaqueu Barbosa (ex-comandante geral da PM), Evandro Alexandre Ferraz Dias Lesco (ex-chefe da Casa Militar), Ronelson Jorge de Barros (ex-adjunto da Casa Militar), Januário Antônio Edwiges Batista (ex-comandante do 4º BPM) e o cabo Gerson Luiz Ferreira Corrêa Júnior (ex-investigador de inteligência no Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado).

Chico Ferreira/Alan Cosme/Hipernotícias

Coronel Zaqueu e cabo Gerson terão pedidos de soltura analisados na sexta

Nesta primeira audiência, serão ouvidas testemunhas de acusação. Também será deliberado pelo magistrado e pelo Conselho Especial de Justiça, composto por coronéis da PM, os pedidos de liberdade de Zaqueu Barbosa e Gerson Corrêa, que foram os primeiros a serem presos após surgido o escândalo, em maio do ano passado.Os julgadores também vão deliberar sobre os pedidos de revogação de medidas cautelares.

Tendo como um dos investigados o governador Pedro Taques (PSDB), o escândalo dos grampos foi parar no Superior Tribunal de Justiça (STJ) em setembro do ano passado, sob a relatoria do ministro Mauro Campbell. Mas em dezembro, ele determinou a remessa dos autos relativos aos acusados sem foro privilegiado para as respectivas instâncias. Os militares são julgados na Vara Militar, na Justiça estadual.

O caso veio a tona em maio do ano passado, quando o promotor de Justiça Mauro Zaque denunciou em rede nacional o esquema de espionagem clandestina por meio da chamada “barriga de aluguel”, que é a inserção de números de telefones de pessoas inocentes em ações judiciais de interceptação telefônica para monitorar criminosos. Foi o que aconteceu com centenas de pessoas, incluindo políticos, jornalistas, advogados e profissionais liberais, especialmente que atuavam na oposição ao atual governo.

Voltar Imprimir

Comentários

GD

GD

Enquete

Qual deveria ser a prioridade do próximo presidente?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 19/10/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 26,90 -1,82%

Algodão R$ 93,55 -1,51%

Boi a Vista R$ 131,00 0,00%

Soja Disponível R$ 73,20 -1,08%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.