Cuiabá, Sexta-feira 16/11/2018

Judiciário - A | + A

operação rêmora 08.11.2018 | 18h36

TJ não julga ação e decisão que pode tornar Maluf réu é adiada

Facebook Print google plus

Otmar de Oliveira

Otmar de Oliveira

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) não julgou, nesta quinta-feira (8), a ação penal que decidiria sobre admissibilidade da denúncia contra o deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB) por envolvimento em esquema para desvio de dinheiro público da Secretaria de Educação (Seduc).

 

A ação estava na pauta, mas em razão do avançado horário não foi apreciada. A previsão é que o assunto seja analisado na próxima sessão do pleno no dia 22. 

 

Essa não é a primeira vez que a ação entra em pauta e fica pendente de análise. Em outubro, a ação foi retirada de apreciação por falta de quórum e ausência do relator desembargador Rondon Bassil Dower Filho.

 

Conforme denúncia do Ministério Público do Estado (MPE), Maluf é acusado de integrar uma organização criminosa destinada a obter vantagens indevidas em contratos de obras de reforma e construção de escolas. A existência do esquema veio à tona em 2016 durante a operação Rêmora.

 

As investigações apontaram que um grupo composto por servidores públicos e empresários se reunia e combinava, mediante pagamento de propina de 5%, fraudes e direcionamentos de 23 obras para reformas e construções de escolas estaduais orçadas em mais de R$ 56 milhões.

 

Durante a investigação, segundo o MP, o deputado estadual foi identificado como beneficiário direto de parcela da propina arrecadada, além de se valer das influências políticas proporcionadas pelo cargo eletivo para promover as articulações necessárias.

 

Além de Malouf, são acusados de integrar o esquema o ex-secretário de Educação, Permínio Pinto, e o empresário Alan Malouf, que chegou a firma acordo de delação premiada, homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em abril deste ano e tornada pública na última semana.

 

No documento, o empresário narrou diversas situações envolvendo os supostos crimes de caixa 2, esquemas e pagamento de propina não apenas na Seduc, mas envolvendo a gestão do governador Pedro Taques (PSDB).

Voltar Imprimir

Comentários

Chico Ferreira

Chico Ferreira

GD

GD

Enquete

Expor sua opinião após as eleições vale a pena?

Parcial

Edição digital

Quinta-feira, 15/11/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,30 0,52%

Algodão R$ 92,61 0,03%

Boi a Vista R$ 136,63 0,83%

Soja Disponível R$ 66,60 0,45%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.