Cuiabá, Domingo 21/10/2018

Judiciário - A | + A

08.02.2018 | 17h15

Votação de sindicância de Faiad contra juíza Selma Arruda é adiada

Facebook Print google plus

Uma sindicância que tem a juíza Selma Rosane Santos Arruda, da 7ª Vara Criminal, como alvo por suposto desvio de função teve a decisão adiada na manhã desta quinta-feira (8), durante sessão do Pleno do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), quando o desembargador Marcos Machado pediu vistas do processo.

Otmar de Oliveira

Juíza Selma é alvo de sindicância movida pelo advogado Francisco Faiad

A relatora, desembargadora Maria Aparecida Ribeiro, votou pelo arquivamento da sindicância, aberta em agosto do ano passado a pedido do advogado e ex-secretário de Estado de Administração Francisco Faiad, que acusa Selma Arruda de expor opiniões pessoais sobre os processos com o objetivo de se promover politicamente, além de diversas outras supostas infrações à Lei Orgânica da Magistratura (Loman).

Leia também - Corregedoria abre sindicância contra juíza Selma Arruda a pedido de Faiad

Dos 30 desembargadores presentes na sessão administrativa do Pleno, 14 acompanharam o voto da relatora, ou seja, a favor do arquivamento do caso. Porém, Marcos Machado pediu vistas e os demais magistrados preferiram apresentar seus votos somente após a devolução dos autos pelo revisor.

Em seu voto, a corregedora-geral da Justiça Maria Aparecida Ribeiro afirmou que os indícios de desvio funcional imputados por Faiad a Selma Arruda não ficaram comprovados nos autos.

Diferentemente do que apontou o advogado, que é réu na operação Sodoma, acusado de desviar recursos da Secretaria de Administração do Estado para quitar dívidas de campanha, a corregedora não viu ilegalidade nas declarações públicas de Selma sobre decisões, explicando que foram manifestações sobre sentenças já proferidas e sem juízo de valor, mas com o objetivo de prestar contas à sociedade.

Assessoria

Desembargador Marcos Machado pediu vistas do caso

A desembargadora também não vislumbrou caráter de autopromoção política ou reconhecimento pessoal nas decisões e condutas da juíza criminal, mas sim respostas à grande procura de Selma Arruda pela imprensa, por conta da repercussão dos processos que julga, os quais contam com diversas personalidades públicas na condição de réus, como políticos e empresários.

No retorno para julgamento, após vistas de Marcos Machado, a sindicância, que até o momento estaria “empatada” na votação, caso seja julgada procedente pode resultar em sanções contra a juíza Sema Arruda, que podem chegar até mesmo à aposentadoria compulsória

Voltar Imprimir

Comentários

GD

GD

Enquete

Qual sua avaliação do governo Temer nesse final de mandato?

Parcial

Edição digital

Domingo, 21/10/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 18,80 -1,05%

Algodão R$ 98,30 -0,36%

Boi a Vista R$ 126,00 -0,06%

Soja Disponível R$ 69,80 -0,71%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.