Cuiabá, Domingo 21/10/2018

Mande seu Whats - A | + A

19.09.2017 | 11h00

Descaso na Farmácia de Alto Custo deixa pacientes sem medicamentos

Facebook Print google plus
Divulgação/Internauta

Pacientes que precisam recorrer à Farmácia de Alto Custo estão em desespero pelo que classificam como "descaso" da unidade que deveria fornecer medicamentos controlados custeados pelo Estado, porém, não tem feito "sob inúmeras desculpas".

De acordo com um paciente que preferiu não se identificar para "evitar possíveis represálias", o problema ocorre desde o dia 1º de setembro, quando precisou renovar a receita médica para conseguir pegar o medicamento Bosentana, indicado para o tratamento da hipertensão arterial pulmonar.

Otmar de Oliveira

Pacientes não conseguem remédios da Farmácia de Alto Custo 

Usuário do medicamento há mais de 2 anos, obtido através da Farmácia de Alto Custo, o paciente precisa renovar a receita a cada 3 meses, a fim de manter regular o fornecimento do remédio. No entanto, não tem recebido o atendimento na unidade.

Ele conta que já ouviu inúmeras desculpas em uma tentativa de justificar a não prestação do serviço, especialmente do setor de Cadastro e Renovação.

“Estou indo lá desde o dia 1º e não consigo atendimento. Dizem que trocou o sistema, aí outra vez trocou funcionários e várias vezes lá está fechado. É difícil. Isso quando não passamos mais de 4 horas na fila, para nada”, denuncia em tom de desabafo.

Ainda segundo o paciente, por conta da falta de prestação adequada do serviço, a unidade vive lotada e os pacientes esperam por várias horas e, muitas vezes, sem lugar para se acomodarem.

“Como ninguém consegue atendimento, vem todo mundo todos os dias. Aí é essa lotação. Não tem nem lugar para os idosos se sentarem e as senhas distribuídas não começam do zero. Então, você não consegue acompanhar quantas pessoas foram atendidas. Isso quando você está lá e eles simplesmente chegam dizendo que acabou o atendimento”, afirmou.

O paciente lembrou ainda que sem a renovação da receita não é possível mais obter o medicamento que tem 60 comprimidos, porém só dura até esta semana. O remédio custa em torno de R$ 2 mil.

Otmar de Oliveira

Paciente reclamam de falta de atendimento

"Tomo 2 comprimidos por dia e me organizei justamente com quase um mês de antecedência e venho todos os dias para nada. Teve uma vez só que consegui pegar a senha, mas não fui atendida”, lembrou.

Outro paciente reclamou que esteve na farmácia nesta segunda-feira (18) e que a unidade estava lotada, pois, na última semana, ninguém conseguiu obter o medicamento sob a alegação dos funcionários de que os cabos dos computadores estavam queimados.

“Muitos idosos tiveram que voltar para casa sem o remédio por preguiça de fazerem o registro manual de entrega do medicamento. Há relatos de pacientes que ficaram sem tomar seu remédio no final de semana. O pior foi saber que tinha o remédio, mas acharam mais cômodo mandar todos voltarem hoje”, relatou.

Outro lado – A Secretaria Estadual de Saúde informou, via assessoria de imprensa, que o  novo sistema está em  funcionamento desde o dia 4 de setembro e que não houve nenhuma intercorrência durante esta mudança. Ainda segundo a assessoria, a Secretaria de Saúde assumiu o controle dos serviços após a saída da empresa terceirizada RV Ímola com a "cobertura" de todos os atendimentos.

Veja a nota

"Conforme apurado, o novo sistema está funcionando desde o dia 04/09, após 10 dias de intervalo no cadastro de novos pacientes, para a migração do mesmo, sem nenhuma intercorrência. E mesmo com a saída da RV Ímola, no outro dia o atendimento seguiu normalmente, pois a SAF cobriu os atendimentos".

Esta matéria foi produzida através de uma sugestão enviada pelo WhatsApp do Gazeta Digital. Para enviar sugestões, fotos e vídeos o número é (65) 9 9987-2065.

Voltar Imprimir

Comentários

GD

GD

Enquete

Qual sua avaliação do governo Temer nesse final de mandato?

Parcial

Edição digital

Domingo, 21/10/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,10 0,50%

Algodão R$ 119,49 0,13%

Boi a Vista R$ 131,00 0,00%

Soja Disponível R$ 74,00 -0,67%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.