Publicidade

Cuiabá, Quinta-feira 20/06/2019

Polícia - A | + A

PEGOS COM R$ 20 MIL 21.05.2019 | 07h43

Polícia prende 7 colombianos que atuavam como agiotas

Facebook Print google plus

Otmar de Oliveira

Otmar de Oliveira

Sete colombianos foram presos no final da manhã desta segunda-feira (20), em Cuiabá, suspeitos de agiotagem. Com eles, policiais da Ronda Ostensiva Móvel Tática (Rotam) apreenderam uma quantia superior a R$ 20 mil, além de dólares, pesos e bolívares.   

 

De acordo com o boletim de ocorrência, em patrulhamento pelo Centro da Capital, os policiais flagraram dois homens suspeitos, que ao avistarem a viatura, saíram nervosos.

 

Leia também -  Jovem que matou ex-namorada com tiro na testa é baleado

 

Abordados, em revista pessoal, foi encontrada uma grande quantidade de dinheiro. Naturais da Colômbia, a dupla estava sem documentação para comprovar sua legalidade no país.

 

No primeiro momento, não souberam explicar a origem do dinheiro. Um dos suspeitos disse que o valor era o lucro de suas vendas em uma barraca de camelô. 

 

Já o outro contou que o montante é resultado da prática de cobranças por agiotagem. 

 

Prática criminosa

 

Segundo os suspeitos, desde que chegaram em Cuiabá, trabalham para outro colombiano, identificado como Juan Camilo. 

 

Ele mantém um apartamento no Coxipó, onde a dupla mora com mais quatro colombianos. 

 

Juan foi localizado em um condomínio no bairro Chácara dos Pinheiros. 

 

Em revista no imóvel, a polícia encontrou relógios, correntes de ouro e uma grande quantia em dinheiro. 

 

Já no apartamento do Coxipó, os quarto imigrantes foram encontrados quando chegavam ao local. 

 

Cada um portava uma quantia significativa de dinheiro.

 

les contaram que desde que chegaram no país trabalham para Juan e recebem uma quantia de R$ 500 por semana.

 

Todas as despesas, fora alimentação, são custeadas pelo ‘chefe’.  

 

Crime previsto em lei

 

O grupo foi encaminhado para a Central de Flagrantes, onde a ocorrência foi registrada.

 

Antes, os militares procuraram a Polícia Federal, que informou não ser a responsável pelo caso. 

 

O ato de agiotagem é considerado como crime contra a economia popular, previsto no artigo 4º da Lei 1.521/51, prevê uma pena de 06 meses a 02 anos de prisão.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

GD

GD

Publicidade

Enquete

Sobre o projeto do VLT em Cuiabá

Parcial

Edição digital

Quinta-feira, 20/06/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 24,55 0,20%

Algodão R$ 92,62 -0,50%

Boi a Vista R$ 138,00 0,36%

Soja Disponível R$ 73,50 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.