Cuiabá, Quinta-feira 18/10/2018

Política de MT - A | + A

07.06.2018 | 14h58

Atraso para aprovar contas de Taques foi pressão por emendas, admite Botelho

Facebook Print google plus

Após as contas do governador Pedro Taques referentes ao exercício de 2016 serem aprovadas pelos deputados estaduais, na noite de quarta-feira (6), o presidente da Assembleia Legislativa Eduardo Botelho (DEM) admitiu que demora de mais de um ano na tramitação ocorreu porque os parlamentares estavam descontentes com o atraso no recebimento das emendas impositivas, por parte do Executivo.

Chico Ferreira

Deputado Eduardo Botelho

“Existia realmente um debate muito grande entre a situação e a oposição em torno dessa conta. Depois houve também nós não podemos negar um descontentamento dos deputados da base com o não pagamento de emendas, o não atendimento de indicações, por tudo isso houve sim um atraso na votação”, disse Botelho em entrevista à Rádio Capital FM, nesta quinta-feira (7).

Questionado se as emendas teriam sido pagas pelo governo, já que houve enfim a votação da prestação de contas, o presidente do Legislativo negou. “Não foi pago nada. Na verdade, a Assembleia vem dando crédito ao governo há muito tempo. No passado, o governo não pagou o duodécimo integral, pagou menos de 5% das emendas”, lembrou.

Leia também - contas de Taques são aprovadas na AL; apenas 2 votam contra

Eduardo Botelho ainda lembrou que, mesmo com o não cumprimento das obrigações do governo para com o Legislativo, o Parlamento manteve a postura de colaborar. “A Assembleia deu todo o apoio ao governo, aprovou a PEC do Teto, ajudou a negociar a RGA, ajudou a negociar as leis mais importantes. A Assembleia foi parceira do governo em todos os aspectos, procurando soluções, ajudando e isso continua”, asseverou.

De acordo com o político, os deputados precisam das emendas para ajudar os municípios na execução de pequenas obras, que não entram nos programas do Estado e que, por serem impositivas, previstas na Constituição, não poderiam falhar. “É mais do que direito do deputado”, destacou. Botelho defendeu que essa a única moeda de troca que os parlamentares tinham, mas ressaltou que o atraso na apreciação das contas não alterou a atividade do Executivo.

“A única coisa que não atrapalha a população é as contas do governo. Atrapalha em que ficar lá e atrasar um pouco? Nada! E era uma das únicas coisas que os deputados poderiam pelo menos tentar alguma coisa junto com o governo. E foi feito. Isso é natural, é democrático”, defendeu.  

Voltar Imprimir

Comentários

Enquete

Qual sua expectativa sobre os políticos que vão ocupar o Congresso Nacional?

Parcial

Edição digital

Quinta-feira, 18/10/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 18,85 0,27%

Algodão R$ 95,80 -1,04%

Boi a Vista R$ 128,00 0,00%

Soja Disponível R$ 68,10 -0,44%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.