Cuiabá, Domingo 21/10/2018

Política de MT - A | + A

30.11.2017 | 08h38

Câmara avalia se população terá acesso às reuniões da CPI do Paletó

Facebook Print google plus
Otmar Oliveira

A procuradoria da Câmara de Vereadores estuda se as reuniões da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó serão abertas à população e imprensa, ou fechadas. A indagação de como serão realizados os encontros, partiu do vereador Adevair Cabral (PSDB), que é relator da investigação e faz parte da base do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), que deve ter a conduta investigada pela CPI.

De acordo com o presidente da Comissão, vereador Marcelo Bussiki (PSB), após o questionamento do vereador tucano a procuradoria foi consultada e ainda não se posicionou. Para o parlamentar, as reuniões devem ser abertas ao público para cumprir o princípio da publicidade que garante à população acesso às decisões tomadas pelos vereadores e membros.

“Na semana passada fizemos a primeira reunião da comissão para definir o cronograma e foi questionado pelo Adevair se as reuniões seriam abertas, já que é uma investigação disciplinar. Eu disse que não pode ser fechada porque a população tem que saber o que está sendo feito. Ele então pediu para que a procuradoria se posicionasse sobre isso”, disse Bussiki.

O grupo oposicionista com 9 vereadores que assinou previamente o pedido de investigação ainda avalia se entra na Justiça para conseguir mudar a composição da CPI que tem como relator e membro, 2 vereadores da base do prefeito, Adevair Cabral (PSDB) e Mário Nadaf (PV). A investigação foi proposta por Bussiki para investigar a conduta do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), que foi filmado na época que era deputado estadual recebendo maços de dinheiro e guardando no paletó.

Ednei Rosa/Câmara de Cuiabá

O ex-governador Silval Barbosa afirma em delação premiada que o dinheiro era propina paga por ele como mensalinho em troca de apoio político na Assembleia Legislativa. A CPI terá 120 dias para ser concluída, podendo ser prorrogada mediante a solicitação da comissão. O relatório final deverá ser colocado para aprovação do plenário. Os membros da comissão devem investigar possível quebra de decoro do prefeito Emanuel Pinheiro.

Outro ponto que será investigado é a suposta prática de obstrução de justiça, por parte do prefeito, na divulgação do áudio de uma conversa entre o ex-secretário de Estado Alan Zanata e o ex-chefe de gabinete de Silval, Sílvio Corrêa. No áudio, Zanata especula sobre o vídeo em que Emanuel Pinheiro aparece recebendo dinheiro das mãos de Sílvio Correa, em uma aparente tentativa de modificar o contexto em que as imagens foram gravadas. O áudio teria sido encontrado pela Polícia Federal, durante a Operação Malebolge, na casa do peemedebista.

Voltar Imprimir

Comentários

GD

GD

Enquete

Qual sua avaliação do governo Temer nesse final de mandato?

Parcial

Edição digital

Domingo, 21/10/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 22,30 -0,89%

Algodão R$ 94,98 -0,46%

Boi a Vista R$ 130,50 0,00%

Soja Disponível R$ 69,40 -0,14%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.