Cuiabá, Terça-feira 11/12/2018

Política de MT - A | + A

Mais votado para federal 10.10.2018 | 16h30

Com campanha de R$ 11 mil, Nelson Barbudo desbanca milionários

Facebook Print google plus

Chico Ferreira

Chico Ferreira

Com o limite de gasto na campanha eleitoral para deputado federal definido em R$ 2,5 milhões, a campanha vitoriosa do produtor rural Nelson Barbudo (PSL) surpreendeu pela modéstia dos gastos: pouco mais de R$ 11 mil. Ele venceu com 126.249 votos e foi o deputado federal mais votado de Mato Grosso.

 

De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Barbudo gastou R$ 11.6 mil sendo que a maioria dos gastos foi destinada à publicidade por adesivos, praguinhas e santinhos, além de combustível. Ele também declarou o uso de dois veículos emprestados. O valor que Barbudo gastou foi 200 vezes menor do que o declarado por Neri Geller (PP), o candidato eleito que mais gastou na campanha eleitoral.

 

Leia mais -  Nelson Barbudo é o deputado federal mais votado de MT - Confira a lista dos eleitos

 

Geller declarou ter contratado R$ 2,2 milhões em despesas de campanha, sendo que os maiores gastos foram com material impresso, atividades de militância e mobilização de rua, locação de veículos, produção de jingles, vinhetas e slogans, além de programas de rádio, televisão ou vídeo. Ele teve 73.072 votos sendo o 4º mais votado.

 

Na sequência de quem mais gastou na campanha está Emanuelzinho (PTB), filho do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB). Ele declarou ter contratado R$ 1,7 milhão em despesas. Desse valor, mais de meio milhão foi com atividades de militância e mobilização de rua. Emanuelzinho terminou a eleição como o 3º mais votado, com 76.781 votos.

 

Ainda no rol dos gastos milionários está o do senador e agora deputado federal eleito José Medeiros (PODE), que declarou ter contratado R$ 1 milhão em despesas. Seus maiores gastos foram também com atividades de militância e mobilização de rua e despesas de serviços prestados por terceiros. Medeiros, que deixa o Senado para assumir uma cadeira na Câmara Federal, teve 82.528 votos e ficou em 2º lugar em número de votos.

 

Outro candidato eleito que também não economizou, mas não chegou a declarar gastos milionários, está o Dr Leonardo (SD), que declarou ter contratado R$ 723,1 mil em despesas. Ele terminou a eleição como o 6º mais votado, com 52.335 votos.
Já a professora Rosa Neide (PT) declarou ter contratado R$ 501,9 mil em despesas. Ela, que já foi secretária de Educação do Estado, obteve 51.015 votos e terminou na penúltima colocação dos mais votados.

 

Único deputado federal reeleito, Carlos Bezerra (MDB) não precisou gastar tanto na campanha eleitoral. Ele declarou ter contratado R$ 413.7 em despesas. Desse valor, R$ 180 mil foram para a produção de programas de rádio, televisão ou vídeo. Ele foi o 5º mais votado e obteve 59.155 votos.

 

Os gastos de Bezerra só não foram menores que seu correligionário Juarez Costa, ex-prefeito de Sinop que declarou ter contratado R$ 382,1 mil em despesas e foi votado por 49.912 eleitores.

 

Voltar Imprimir

Comentários

Ricardo - 11/10/2018

Tudo mentira o custo de um voto não sai menos de 100 reais

1 comentários

1 de 1

Chico Ferreira

Chico Ferreira

GD

GD

Enquete

O que você pensa sobre o uso do Whatsapp entre médico e paciente?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 11/12/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 18,10 -1,90%

Algodão R$ 90,32 0,01%

Boi a Vista R$ 129,47 0,23%

Soja Disponível R$ 68,20 0,07%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.