Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 23/08/2019

Política de MT - A | + A

Deu em A Gazeta 08.08.2019 | 08h09

Estado gasta R$ 1,2 milhão após receber as placas

Facebook Print google plus

João Vieira

João Vieira

Sete meses após ter solicitado ao Ministério Público de Mato Grosso as duas placas Wytron para usá-las em operações de inteligência, a Secretaria de Estado de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp-MT), gastou R$ 1,2 milhão para ampliar o próprio sistema de interceptação telefônica que já tinha adquirido desde 2005 para uso da Polícia Civil de Mato Grosso.

 

O investimento milionário em 2010, durante o governo Silval Barbosa, ocorreu mesmo com a cessão de duas placas Wytron para ‘auxiliar investigações no interior do Estado, uma vez que o sistema disponível à época não alcançava todo o território mato-grossense’, segundo declarações do atual secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

 

Trecho da publicação no Diário Oficial na época diz que o sistema é para ‘prestação de serviços de ampliação do sistema de interceptação telefônica (sistema guardião), para as macrorregiões, conforme Termo de Referência, proposta de preços e demais documentos do processo de Inexigibilidade de Licitação. O valor total do presente contrato é de R$ 1,2 milhão’, diz trecho do DO assinado pelo então secretário de Justiça e Segurança Pública, Diógenes Curado.

 

Na época, Bustamante era adjunto da pasta e assinou o termo de cooperação com o Ministério Público para usar as duas placas. A revelação foi feita pelo atual procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges, que determinou a apuração das acusações feitas pelos militares envolvidos na grampolândia pantaneira. Os militares alegam que essas duas placas foram dadas pelo ex-procurador-geral Paulo Prado para que os primos Pedro e Paulo Taques iniciassem o escritório clandestino de interceptações para monitorar adversários políticos e desafetos a partir das eleições de 2014.

 

Bustamante disse ainda, em nota a imprensa, que está apurando se as duas placas foram devolvidas ao Ministério Público, já que a cessão inicial era de 6 meses, podendo ser aditadas pelas ambas as partes.

 

Confira reportagem completa na edição do Jornal A Gazeta

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Jornal do Meio Dia - JM

Jornal do Meio Dia - JM

GD

GD

Enquete

Qual seria o maior avanço da ciência?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 23/08/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,95 -0,48%

Algodão R$ 94,70 -0,51%

Boi a Vista R$ 134,25 -0,19%

Soja Disponível R$ 67,90 0,15%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.