Cuiabá, Quarta-feira 20/03/2019

Política de MT - A | + A

Em mato Grosso 11.01.2019 | 09h17

Mauro prevê quebra e estuda decretar estado de calamidade

Facebook Print google plus

Marcus Vaillant

Marcus Vaillant

O governador Mauro Mendes (DEM) não descarta decretar Estado de calamidade pública em Mato Grosso por conta da crise financeira e fiscal. Na prática, tal medida daria ao governador, secretários e dirigentes da administração pública estadual poder para que adotem medidas excepcionais necessárias à racionalização de todos os serviços públicos.  

 

Lei atambém - Exportações serão taxadas com base no valor da UPF

 

“Desde ontem estou estudando essa possibilidade de decretar estado de calamidade pública. Pedi esse estudo para a minha equipe e vamos analisar”, disse Mauro Mendes na manhã desta sexta-feira (11) na rádio Vila Real, Grupo Gazeta de Comunicação.   

 

A possível decreto de calamidade financeira flexibilizaria as regras da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), fazendo com que o Estado deixe de:  cumprir prazos de controle de despesas de pessoal e de limites de endividamento; atingir as metas fiscais; e utilizar o mecanismo da limitação de empenho.   

 

Para tanto, a Assembleia Legislativa (ALMT) teria que aprovar o decreto encaminhado pelo governador. Estados do Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul chegaram a decretar estado calamidade financeira por conta da crise nacional. Salários dos servidores destes Estados atrasaram mais de 4 meses.   

 

De acordo com o governo, o déficit geral do Estado é de R$ 3,9 bilhões, sendo que R$ 2,1 bilhões não possui lastro financeiro para pagamento. A previsão é que a administração feche o mês de janeiro com R$ 200 milhões em déficit financeiro.

Voltar Imprimir

Comentários

Roberto Peron - 12/01/2019

Trabalhe com seus deputados e senadores para aprovarem o fim da estabilidade de servidores públicos, com regras claras. Talvez consiga diminuir o custo da maquina. Temos excelentes servidores nas temos excessos também.

Manoel - 11/01/2019

Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

JÉSSICA DANNIELLY SOUZA PASSOS - 11/01/2019

Não exagera sr. Governador manda esse povo do Legislativo acabar com a verba indenizatória e reduzir os salários e manda o povo da corrupção devolver o dinheiro a culpa não é só do Taques e nem tampouco dos servidores mas sim do descontrole político cobra deles corta mais na carne deles eu quero ver um por um chiar quem paga os salários absurdos de vocês é os eleitores larga de reclamar e mão na massa!

jose antonio silva - 11/01/2019

Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

orlando galetti junior - 11/01/2019

Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

5 comentários

1 de 1

Chico Ferreira

Chico Ferreira

GD

GD

Enquete

O brasileiro tem dificuldade de ficar um minuto longe do celular, segundo pesquisa

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 20/03/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 23,05 0,00%

Algodão R$ 89,56 -0,34%

Boi a Vista R$ 136,00 -0,37%

Soja Disponível R$ 65,30 0,31%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.