Cuiabá, Terça-feira 23/10/2018

Política de MT - A | + A

04.12.2017 | 10h10

ONG Moral questiona sessões secretas na CPI que investiga o prefeito de Cuiabá

Facebook Print google plus
Marcus Vaillant

O diretor do Movimento Organizado pela Moralidade Pública e Cidadania (ONG Moral), Gilmar Brunetto, afirmou que a assessoria jurídica do grupo estuda a legalidade da realização das oitivas fechadas na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó. De acordo com ele, as reuniões secretas podem gerar dúvidas quanto a seriedade da investigação.

“O nosso advogado está estudando a legalidade dessa situação para ver qual providência tomar. É um péssimo sinal fazer esse tipo de ação de modo que podemos considerar as escondidas. Aquela instituição já não tem credibilidade junto a sociedade pelo passado e agora continua dando um péssimo exemplo”, disse o diretor.

Na primeira reunião dos membros da Comissão na semana passada, ficou definido que as oitivas da investigação serão fechadas, sem a participação da população e imprensa. As sessões administrativas ocorreram todas às quartas-feiras, sendo restritas aos membros da CPI para definição de estratégias e deliberações de pautas.

Somente as reuniões ordinárias serão abertas, com presença de vereadores e público em geral às sextas-feiras. Além disso, ficou vedada a gravação de vídeo nas sessões. “É muito ruim, porque coloca a moralidade dos membros em dúvida. Porque tem que ser fechado? Não há explicação”, ressaltou Brunetto.

O grupo de nove vereadores que assinaram previamente o pedido de investigação ainda avalia se entra na Justiça para conseguir mudar a composição da CPI, que tem como relator e membro, 2 parlamentares da base do prefeito: Adevair Cabral (PSDB) e Mário Nadaf (PV).

A investigação foi proposta por Marcelo Bussiki (PSB) e visa investigar a conduta do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), filmado na época que era deputado estadual recebendo maços de dinheiro e guardando no paletó. O ex-governador Silval Barbosa afirmou em delação premiada que o dinheiro era propina paga por ele em troca de apoio político na Assembleia Legislativa.

Voltar Imprimir

Comentários

Eurides - 04/12/2017

Parabéns a Ong moral, isso também deveria ser seguido por outra entidades de classe como Rotary Club, Lions, as Igrejas,a Maçonaria , a sociedade exige um esclarecimento por parte do Prefeito, e esses Vereadores que desejam esconder o ato público só podem ser coniventes com essa ação degradante que todos viram.

1 comentários

1 de 1

GD

GD

Enquete

O país vai voltar a se unir após as eleições?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 23/10/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,35 -0,73%

Algodão R$ 94,77 -0,50%

Boi a Vista R$ 136,70 -0,47%

Soja Disponível R$ 70,00 -0,71%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.