Cuiabá, Terça-feira 23/04/2019

Política de MT - A | + A

pasta problemática 21.01.2019 | 17h02

Presidente assume Detran marcado por operações e intervenção

Facebook Print google plus

João Vieira/Mayke Toscano

João Vieira/Mayke Toscano

Novo responsável por comandar uma autarquia com 1.101 servidores, sendo 923 efetivos, o engenheiro civil Gustavo Reis Lobo de Vasconcelos, anunciado nesta segunda-feira (21) como o presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/MT), terá pela frente o trabalho de virar a página de uma gestão marcada por operações policiais e intervenção por conta de histórico de corrupção, além de greves e falhas na prestação do serviço. 

 

Durante o governo de Pedro Taques (PSDB), a autarquia passou pelas gestões de ao menos quatro presidentes (Rogers Jarbas, Arnon Osny, Thiago França e José Eudes Malhado), além da intervenção que ficou a cargo de Augusto Sérgio de Sousa Cordeiro, em meados de 2018, reflexo da operação Bereré/Bônus, que investigou um esquema de cobrança de propina em troca do contrato do serviço de gravame. 

 

O escândalo, trazido à tona pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), após delação premiada do ex-governador Silval Barbosa, apontou que o esquema criminoso envolvia deputados estaduais e vinha ocorrendo desde o governo Blairo Maggi (PP), de 2009, passando pelos governos até chegar em 2016, com a propina sendo paga supostamente ao ex-chefe da Casa Civil, Paulo Taques. 

 

Mais recentemente, no final de 2018, a Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz) revelou outro sistema de cobrança de propina, por meio da operação Mão Dupla. Neste caso, o crime consistia na cobrança de vantagem indevida de donos e funcionários de auto escolas e aplicadores de provas para com candidatos à retirada da carteira nacional de habilitação (CNH). Conforme as investigações, havia quem pagasse até R$ 4 mil para obter o documento sem precisar fazer a prova e até assistir às aulas. 

 

Além da questão política, a autarquia também é palco recorrente de greves de seus servidores. Durante a última gestão, não houve um ano em que não houvesse paralisação das atividades. Em 2017, por exemplo, a greve que durou mais de duas semanas gerou o acúmulo de mais de 10 mil processos em auto escolas e despachantes. 

 

Quando não são causados pelo fator humano, os transtornos aos usuários do Detran são gerados por falhas técnicas, como a que deixou o sistema da autarquia fora do ar por 4 dias, impedindo a emissão de notas fiscais e pagamentos, além da realização de provas.

 

Nova perspectiva

 

Com 39 anos de experiência no setor elétrico, mesmo ramo empresarial do governador Mauro Mendes (DEM), Gustavo Vasconcelos tem passagens no setor privado e público. Neste caso, o destaque se dá pelo cargo de superintendente da Eletronorte, onde atuou entre 1986 até o ano passado. Entre 2006 e 2016, coordenou projetos como o Luz Para Todos e Luz no Campo, do Ministério de Minas e Energia. 

 

Natural de Belo Horizonte (MG), o novo presidente do Detran veio para Mato Grosso para trabalhar na Eletronorte, há 32 anos. Nesse período, obteve os títulos de cidadão mato-grossense, nova mutuense, sorrisense e sinopense. De caráter técnico, Gustavo Vasconcelos não possui filiação partidária. 

 

Segundo ele, seus próximos dias a frente do Detran serão para tomar pé da situação administrativa e financeira da pasta, antes de definir o planejamento estratégico. Em meio ao cenário de calamidade financeira do Estado, em que o orçamento da autarquia é reduzido de R$ 201 milhões em 2018 para R$ 162 milhões neste ano, o foco do gestor será o combate à inadimplência, a redução do tempo de espera nos processos e a implantação de mecanismos que facilitem o acesso do usuário aos serviços. 

 

“Hoje existe uma grande dificuldade do usuário em conseguir resolver suas pendências no Detran. Temos que informatizar ao máximo e arrecadar mais, mas não cobrando mais caro, e sim cobrando de forma eficaz. Muitos desistem de procurar os serviços pela burocracia existente. Temos que dar agilidade ao usuário", afirmou.

Voltar Imprimir

Comentários

Chico Ferreira

Chico Ferreira

GD

GD

Enquete

Qual deveria ser a punição para torcedores que brigam durante e após os jogos?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 23/04/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21,40 0,23%

Algodão R$ 92,01 0,37%

Boi a Vista R$ 134,09 -0,30%

Soja Disponível R$ 67,90 -0,15%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.