Publicidade

Cuiabá, Domingo 15/09/2019

Política de MT - A | + A

áudios denunciavam 16.08.2019 | 10h57

TJ arquiva ação contra Wilson e Jajah no caso verba da AL

Facebook Print google plus

JLSiqueira/ALMT

JLSiqueira/ALMT

Um dos capítulos da história política de Mato Grosso apontou uma suposta manobra entre deputado e suplente na Assembleia Legisalativa para devolução da verba indenizatória (VI) ao titular do cargo. Os personagens envolvidos foram o deputado estadual Wilson Santos e o suplente Jajah Neves, os dois do PSDB. 

 

Pelo menos este capítulo chega ao fim na instância judicial. O Tribunal de Justiça de Mato Grosso determinou no dia 1º de agosto o arquivamento de um inquérito que investigou a suspeita de devolução da verba indenizatória de R$ 65 mil de Jajah Neves, que ocupava a vaga de deputado de Wilson Santos, que estava licenciado do cargo para ocupar a Secretaria de Estado de Cidades.

 

Leia também -  Vereador apresenta projeto para acabar com recesso na Câmara

 

À época, o suplente e apresentador de TV disse que devolvia R$ 65 mil, o que não foi comprovado em investigação. A decisão do desembargador Gilberto Giraldelli atendeu pedido do sub-procurador Geral de Justiça Deosdete Cruz Júnior.

 
Em janeiro de 2018, circulou um áudio pelo aplicativo de celular Whatsapp. Em um dos trechos, Jajah Neves dizia o seguinte: “Cai minha VI (verba indenizatória) e tenho que devolver pro Wilson. Começa me ligar 3 dias antes de cair”.
 
A suposta remessa da verba indenizatória seria uma compensação pelo fato de o titular do mandato na época, Wilson Santos, ter se licenciado da Assembleia Legislativa.

 
As investigações conduzidas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em um ano quebrou o sigilo bancário e fiscal de Wilson Santos e Jajah Neves. Apesar da ampla investigação, não foi identificado nenhum rastro de ilegalidade ou indícios de transação suspeita.
 
“Não foi possível angariar provas suficientes que demonstrem a certeza de materialidade e indícios mínimos de autoria dos crimes sob investigação ao passo que não foi possível apurar a ocorrência de malversação das verbas indenizatórias recebidas pelos investigados, principalmente, no tocante a possível devolução da verba indenizatória de Jajah Neves para Wilson Pereira dos Santos”, diz um dos trechos do parecer do Ministério Público do Estado, que foi aceito pelo Tribunal de Justiça. 

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Jornal do Meio Dia - JM

Jornal do Meio Dia - JM

GD

GD

Enquete

O governo de Mato Grosso decretou estado de emergência por conta das queimadas

Parcial

Edição digital

Domingo, 15/09/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 18,10 -0,28%

Algodão R$ 90,46 -0,15%

Boi a Vista R$ 136,75 0,18%

Soja Disponível R$ 64,60 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.