Cuiabá, Sexta-feira 14/12/2018

Política de MT - A | + A

gastos com publicidade 30.11.2018 | 09h40

Tribunal compartilha processo sobre caixa 2 para julgar contas de Selma Arruda

Facebook Print google plus

Chico Ferreira

Chico Ferreira

O desembargador Pedro Sakamoto, do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), determinou o compartilhamento de provas da Ação de Investigação Judicial Eleitoral contra a senadora eleita, Selma Arruda (PSL), e seus suplentes para que o juiz eleitoral Ulisses Rabaneda anexe ao processo de prestação de contas de campanha.

 

Leia também - Selma indica Gustavo Bebianno, aliado de Bolsonaro, como sua testemunha de defesa

 

A decisão ocorreu após o pedido do próprio Rabaneda, que ao analisar as contas de campanha da senadora eleita, verificou a existência de notas de pagamentos destinados à Agência Genius Produções Cinematográficas.

"Ocorre que tramita, nesta Justiça Especializada duas Ações de Investigação Judicial Eleitoral, que questiona, exatamente a regularidade ou não da arrecadação e gastos financeiros, efetuados pelos prestadores de contas em relação a empresa Genius AT Work Produções Cinematográficas Ltda", diz pedido do juiz Ulisses Rabaneda que solicitou o compartilhamento das provas.

 

Diante disso, Sakamoto acatou o pedido de compartilhamento das provas produzidas e as que ainda serão produzidas durante o processo judicial no TRE.

"Contudo, ressalto que o feito nº 0601616-19-2018 tramita com sigilo dos dados bancários dos representantes Selma Rosane Santos Arruda e Gilberto Eglair Possamai, da maneira que reputo que igual providência deverá ser adotada na prestação de contas destinatária das provas, impondo-se a todos que nele oficiarem, o dever de zelar pelo sigilo das informações sigilosas disponíveis", diz trecho da decisão do desembargador proferida no último dia 27.

 

Selma Arruda e o 1º suplente, Gilberto Possamai (PSL), respondem a uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral, no TRE, por conta da contratação da Agência Genius no valor de R$ 1,8 milhão. Eles são acusados de ter praticado suposto caixa 2 e abuso de poder econômico durante a pré-campanha.

A juíza aposentada nega as acusações e diz que o contrato com a Genius só foi para “promoção pessoal e auxílio nas palestras que realizou em Mato Grosso”. A referida ação foi proposta pelo candidato derrotado ao Senado, Sebastião Carlos (Rede) e reforçada com outra do ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD) também contra Selma Arruda.

 

Selma Arruda declarou ao TRE durante a campanha que possui R$ 287 mil em bens, valor que representa menos de 20% do contrato estabelecido com a Genius, no valor de R$ 1,8 milhão.

Voltar Imprimir

Comentários

Chico Ferreira

Chico Ferreira

GD

GD

Enquete

Qual sua opinião sobre os ministros escolhidos por Jair Bolsonaro?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 14/12/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 22,75 -1,09%

Algodão R$ 95,03 0,14%

Boi a Vista R$ 135,33 0,00%

Soja Disponível R$ 65,30 -0,15%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.