Cuiabá, Sábado 20/10/2018

Política de MT - A | + A

10.08.2018 | 08h44

Wellington garante conclusão do VLT e critica as obras inacabadas

Facebook Print google plus

Senador Wellington Fagundes (PR), candidato ao governo do Estado pela coligação “A Força da União”, fez duras críticas ao modelo usado pelos governantes de tomar importantes decisões sem consulta ampla e debate com os segmentos políticos, econômicos e sociais. Esse conceito administrativo é um dos responsáveis, segundo ele, pelo acúmulo de obras inacabadas e citou como maior exemplo o VLT de Cuiabá.

Chico Ferreira

“O maior erro na escolha pelo VLT foi o de não terem ouvido as prefeituras, os municípios, os vereadores nunca foram convidados. E daí começam a surgir coisas ‘monstrengas’. E não me refiro apenas ao V.LT, pois há outras inúmeras obras inacabadas da Copa, por exemplo”, disso nesta quinta-feira (10).

Leia também - Chapa de Wellington Fagundes tem 164 candidatos

Fagundes lembra que sua posição sempre foi muito clara em relação ao BRT, tanto pelo custo de operação e construção menores, como, pela rapidez na sua conclusão. Mas na época a decisão de governo foi pelo modal VLT.

Ainda conforme Wellington, o maior erro na escolha do modal foi centralizar a decisão, sem ouvir as prefeituras de Cuiabá e de Várzea Grande, bem como os legisladores. Ele explica que dentro do município as prerrogativas constitucionais são do prefeito, não são do presidente da República e nem do governador.

“O que aconteceu foi o resultado do que existe, os governos acham que estão em ilhas, tomam decisões isoladas. Obras como a do VLT ou qualquer outra de impacto regional têm que ter as prefeituras como aliadas, eles têm que ser ouvidas”, ponderou o candidato ao ressaltar o modelo que pretende implantar uma vez eleito governador.

Wellington disse que não discute a eficiência do VLT. “Como insisto, além de não haver um planejamento prévio, conversando com os municípios para que cada um pudesse colaborar com o projeto. O que fizeram primeiro foi comprar, em um único pacote, as máquinas, que não tinham por onde andar e depois rasgaram, ao mesmo tempo, as cidades de Cuiabá e Várzea Grande. E agora, em Cuiabá, a vala está sendo coberta, palmeiras sendo plantadas porque a cidade não pode ficar com esse aspecto de destruição”.

Para evitar erros como esses, é que Fagundes assumiu, há anos, a posição de político municipalista convicto, porque as pessoas moram nos municípios e são os municípios que suprem suas necessidades.

(Com informações da assessoria de imprensa)

Voltar Imprimir

Comentários

GD

GD

Enquete

Quanto do seu tempo você dedica à diversão?

Parcial

Edição digital

Sábado, 20/10/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,15 -0,25%

Algodão R$ 98,02 -0,95%

Boi a Vista R$ 132,65 -0,17%

Soja Disponível R$ 70,70 -0,24%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.