Publicidade

Cuiabá, Segunda-feira 15/07/2019

Política Nacional - A | + A

19.11.2014 | 09h25

Taques terá R$ 1 bilhão em caixa, diz Silval

Facebook Print google plus

Governador Silval Barbosa (PMDB) se despediu da vida pública, ontem, em solenidade de inauguração da Trincheira Jurumirim/Trabalhadores, aproveitando a oportunidade para responder “observações” da equipe de transição sob o próximo gestor de Mato Grosso, senador Pedro Taques (PDT). Silval disse que vai se dedicar aos afazeres na iniciativa privada, afastando rumores de que possa pleitear vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE), deixando para Pedro Taques “aproximadamente R$ 1 bilhão em caixa e outros cerca de R$ 4 bilhões contratados junto as instituições financeiras para execução de grandes obras”, a cargo do pedetista. “Vou deixar R$ 1 bilhão fora as contratações como R$ 700 milhões para pontes, além de obras como o VLT”.

Recentemente, em reunião com partidos aliados, Taques teria exposto situação de aperto dos cofres públicos de Mato Grosso, com aproximadamente R$ 2 bilhões comprometidos, sendo R$ 1,3 bilhão de restos a pagar. O governo estadual rebate as ponderações. Garante o desempenho equilibrado das ações governamentais, regra válida ao exercício financeiro e fiscal de Mato Grosso.

O governador reafirmou a disposição da equipe de transição do Palácio Paiaguás, comandada pelo secretário chefe da Casa Civil, Pedro Nadaf, de disponibilizar com celeridade todos os dados solicitados pelo grupo do pedetista, na responsabilidade do prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta. Representantes de Taques por vezes, reclamam de demasiada demora para obtenção de informações.

Silval reconheceu dificuldades para cumprir o extenso cronograma de projetos e programas pautados em sua administração. Mencionou o ambiente que exigiu do Executivo de Mato Grosso habilidade para assegurar compromissos como a realização da Copa 2014, em prazo curto. Prometeu inaugurar complexo de obras até o dia 31 de dezembro, quando termina seu mandato. E desejou para Pedro Taques uma evolução positiva para a reforma administrativa que é a base da nova gestão estadual.

“Eu quando assumi disse que teria estruturas como a Secretaria das Cidades e outras. Ele (Taques) disse que vai fazer uma reforma enxugando a máquina e cortando secretarias. Espero que consiga, e redução de secretarias depende da Assembleia Legislativa”. Reiterou ainda que irá colaborar com Taques para possíveis mudanças, devendo avaliar o pedido.

Acompanhe o GD também pelo Twitter: @portalgazeta

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

GD

GD

Enquete

O Congresso Nacional deve aprovar a lei que regulamenta a educação domiciliar?

Parcial

Edição digital

Segunda-feira, 15/07/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,65 -0,76%

Algodão R$ 92,78 -0,09%

Boi a Vista R$ 136,00 0,00%

Soja Disponível R$ 70,00 -1,41%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.