Cuiabá, Terça-feira 16/10/2018

Gastronomia - A | + A

01.02.2018 | 11h04

Chef Rueda abre Hot Pork e usa só ingredientes feitos de forma artesanal

Facebook Print google plus

Com uma concepção visual que remete à temática circense e uma proposta inovadora e inclusiva, o festejado e premiado chef Jefferson Rueda abre seu novo empreendimento no centro de São Paulo: o Hot Pork, sua versão de porco quente cujos ingredientes são todos feitos na casa, do pão à salsicha, sem conservantes, emulsificantes e corantes.

Divulgação

Além do já conhecido sanduíche de porco quente, com salsicha de porco caipira (Hot Pork), a grande novidade é criação da versão vegetariana (Not Pork), com salsicha à base de cogumelos. Servido em uma unidade com pão tostado de 16cm, uma salsicha de 18cm, ketchup de maçã com especiarias, mostarda fermentada com tucupi e maionese e picles de cebola roxa. O valor é de R$15.

Com direito a música, palhaços e bailarinas, a casa abriu cheia de clientes que celebravam o aniversário de São Paulo, no dia 25 de janeiro.

Localizado na esquina da R. Bento Freitas com a Epitácio Pessoa, o espaço, desenhado pelo arquiteto e designer Rafic Farah, tem como inspiração o Cirque Calder. A iluminação cênica que varia ao longo da noite, as referências ao picadeiro, as cores primárias e os traços que compõe a decoração são marcantes.

“O Jefferson me falou que queria algo na linha dos circos do interior, na hora pensei em Alexander Calder e seus circos. Não queria fazer algo que remetesse ao porco, seria muito óbvio. Aqui no Hot Pork queremos trabalhar o conceito, o ambiente, o que as pessoas vão sentir ao entrarem”, disse Rafic.

Com a cozinha à mostra ao público através de um vidro, é possível acompanhar toda a cadeia de produção, desde o pão até as salsichas. “As pessoas querem ver como as coisas são produzidas e eu faço questão de mostrar. Por isso escolhemos este formato, para que seja genuíno”, diz o chef Jefferson Rueda, que acumula 23 anos de carreira e coleciona uma vasta série de premiações nacionais e internacionais. Seu primeiro restaurante, A Casa do Porco, ocupa a 8ª colocação na lista dos 50 Best Latin América (50 Melhores Restaurantes da América Latina).

Inspirado pelo hábito de consumo nas ruas paulistanas e da vontade de seus filhos de consumir o sanduíche, o chef se dedicou à receita ideal da salsicha.

“A gente vê tanta coisa industrializada na rua, as pessoas consomem e nem sabem que essa comida pode ser muito melhor. Acho que é responsabilidade de nós cozinheiros contribuir para a mudança da comida popular, e oferecer a preços mais acessíveis. Esse projeto não visa dinheiro e sim mudança”, diz o Rueda, que já recebeu uma estrela no Guia Michelin por seu trabalho no Attimo e foi escolhido chef do ano pelas revistas Prazeres da Mesa e Veja Comer e Beber.

Sempre inovador, ele destaca que quer trazer um novo olhar para a comida popular e questiona: “Por que alta gastronomia não pode também desenvolver uma salsicha de qualidade?”

Assim como n’A Casa do Porto, na janela do Hot Pork são servidas bebidas que harmonizam com o porco quente. A grande estrela é a sidra Épo de abacaxi com hibiscos (R$9), produto artesanal brasileiro de Morada, em Curitiba.

Para os cervejeiros de plantão, a dica é a cerveja artesanal blondine feita exclusivamente para o Hot Pork, o WitPork (R$12), cerveja Heineken lata (R$8). Tem ainda refrigerantes naturais sem conservantes (R$7).

E o Hot Pork chega com mais uma novidade: é a primeira vez que uma casa do chef Jefferson Rueda que aceitará todos os tipos de vale refeição, além de dinheiro e cartões de débito e crédito.

Nascido em São José do Rio Pardo, interior de São Paulo, Rueda formou-se chef internacional pelo Senac em convênio com o Culinary Institute of America. Passou por restaurantes renomados fora do Brasil, como El Celler Can Roca, Can Fabes, Santi Santamaria, entre outros, e chefiou restaurantes de alta gastronomia aqui no Brasil como o Madeleine, Pomodori e Attimo.

Junto com sua esposa e chef Janaína Rueda, abriu o Bar da Dona Onça no térreo do edifício Copan, em 2008, onde permanece como consultor.

Em outubro de 2015, Jefferson colocou em prática toda a experiência adquirida durante sua carreira unindo suas maiores paixões (o porco, o açougue e o fogo), e inaugurou A Casa do Porco, um bar especializado em carne suína com técnicas tradicionais do interior de São Paulo.

Com seu novo projeto de vida, Jefferson traz de volta a tradição e união de toda a sua experiência de cozinha brasileira.

Com o intuito democratizar a alta cozinha, A Casa do Porco Bar está localizada no centro de São Paulo e, além do salão, conta com uma janela de Comida Rápida onde serve lanches a preços mais acessíveis à população.

O lugar é um dos points paulistanos e, via de regra, tem fila de gente vinda de todos os cantos do Brasil e do mundo exclusivamente para vivenciar uma experiência gastronômica única.

Experimentar o torresmo de panceta com goiabada picante vale enfrentar a espera. E olha que esta é apenas uma entrada. (Com informações da assessoria) 

Voltar Imprimir

Comentários

Enquete

Na França, quem assoviar para mulher na rua pode ser multado

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 16/10/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 26,00 -1,14%

Algodão R$ 98,65 -0,19%

Boi a Vista R$ 132,15 -2,11%

Soja Disponível R$ 70,00 0,29%

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.