Cuiabá, Quarta-feira 19/09/2018

Gastronomia - A | + A

31.08.2017 | 10h05

Kenshi e Japidinho, cozinha oriental em Cuiabá

Facebook Print google plus

Japidinho, 24 horas a postos

Aberto há cinco anos, no auge do “boom” da culinária japonesa em Cuiabá, o Japidinho, pioneiro no formato fast japa food, conta com três unidades - Avenida do CPA, Várzea Grande e Getúlio Vargas, primeira e única da Capital a funcionar 24 horas, incluindo serviço dellivery - e já se prepara para abrir franquias.

Um dos sócios, Carlos Alberto Medeiros, o Beto, conta que a ideia dele, do irmão Fernando, e de um sócio na época (que hoje já não integra mais o empreendimento), foi aproveitar o “boom” daquele momento e abrir uma casa com uma “pegada” mais funcional.

Assim, criaram um buffet de comida oriental por quilo, mais rápido e mais prático, mas sem perder em qualidade.

 

Pista do Japidinho exibe uma diversidade de opções de pratos. Casa inovou ao incluir pirarucu em seus pratos

Temakis do Japidinho fazem a fusão perfeita de sabores e texturas

Casa se destaca pela rapidez em servir

Outra característica é a rapidez no atendimento e no consumo dos pratos do cardápio que tem 15 tipos de temakis, mais ou menos 20 pratos frios e outros 12 quentes. O giro de clientes é alto - fazem em média 400 atendimentos por dia.

Durante a entrevista para esta matéria, na tarde de segunda-feira, 28, as pessoas entravam, comiam e saiam, com o tempo de permanência bem curto. Esse é o espírito do lugar.

Uma das ideias dos irmãos que também atrai clientes é temaki time, uma promoção agressiva em que os preços podem cair até pela metade, nos horários entre 14h e 17h, e das 2h às 5h da manhã, de segunda a sexta-feira, na unidade da Getúlio Vargas, também um point pós-balada.

Nas outras unidades, a promoção vale de segunda a quarta-feira, em horário integral, das 18h às 23h.

Os irmãos não param investir em novidades. A última delas foi a valorização de um peixe tipicamente brasileiro, o pirarucu, que integra vários pratos do cardápio com uma aceitação incrível por parte dos clientes.

Ele entra na composição de vários pratos, desde tamakis a sashimi e gunkan, passando por posta grelhada e bolinho, criação de uma das cozinheira e que se tornou um verdadeiro sucesso.

Presença no 'Vida Cuiabá Viva'

No Festival do Peixe, parte da programação da 1ª edição do “Viva Cuiabá Viva”, que acontece no feriado prolongado de 7 de setembro, na Orla do Porto, o Japinha vai estar presente servindo um ceviche exclusivamente de filé de tambaqui.
Na casa, o tambaqui integra o ceviche ao lado do salmão, lula, polvo e kani.  O ceviche é o prato favorito da clientela e no buffet, o carro-chefe.

                                                           #SóComidaJaponesa

Kenshi Gastronomia Oriental

No Kenshi Gastronomia Oriental, que funciona na charmosa Rua 24 de Outubro, os pratos combinados, que reúnem de 12 até 100 peças, incluindo sashimis, niguiris, uramakis, gunkan-maki e muitos outros, feitos com peixes diversos e frutos do mar, estão entre os mais pedidos da casa.

O experiente sushiman Carlos Henrique Vieira, sócio do restaurante, que trabalha na área há 15 anos, conta que a casa, aberta em novembro de 2016, nasceu com um serviço de dellivery, que operou por dois anos no antigo endereço, na Rua São Sebastião.

Depois, ele e o sócio, Jorge Taques, um antigo cliente dos tempos em que trabalhava em outros restaurantes de Cuiabá, montaram a atual casa calcada em pilares bem definidos, técnica, paixão e excelência.

 

Acima, frutos do mar e peixes usados nos pratos do Kenshi. Ingredientes frescos e de qualidade. E o prato Pintado Kenshi com arroz de shimeji e brócolis

Combo especial com 36 peças do Kenshi Gastronomia Oriental

Paixão surge como ingrediente perfeito

Jorge conta que adoro o que faz e está sempre disposto e disponível para organizar e fazer tudo, incluindo as compras. "O cuidado com os ingredientes é fundamental, tanto na escolha, quanto na manipulação”, vaticina, orgulhoso do trabalho que executa, sempre de olho na excelência, terceiro pilar dessa “construção” sólida.

“Tenho um fornecedor de São Paulo que me entrega produtos duas vezes por semana (terça e quinta), para que tudo seja o mais fresco possível”.

Segundo ele, na cozinha japonesa não existe meio termo, ou os produtos estão bons ou devem ser jogados no lixo.

Carlos reforça que o restaurante é simples e aconchegante, mas preza pela qualidade. “As pessoas vem aqui única e exclusivamente pela comida e isso é muito gratificante. A boa comida é uma forma de respeitar os clientes”, constata.

Tão alto nível de exigência e cuidado se reflete na qualidade e aparência dos pratos. Há um frescor e um cuidado estético impressionantes que podem ser percebidos de cara.

Com um amplo cardápio, composto por cerca de 100 variedades de pratos, a casa apresenta algumas opções sofisticadas e que não se encontram em outros restaurantes locais, como vieiras.

O sushiman revela que os novos pratos são criados devagar, com calma, são provados lentamente e ajustados, com uma paciência oriental, embora seja cearense.

Como muitos outros conterrâneos seus, mudou-se para São Paulo em busca de trabalho e diante da oportunidade de trabalhar em Campo Grande, não titubeou. De lá, veio para Cuiabá onde assumiu a cozinha dos melhores restaurantes do ramo.

Sobre as novidades no cardápio, diz que há, por parte dos clientes, uma certa resistência a novos sabores. “Não se pode exagerar”. Segundo ele, para os clientes com paladar mais ousado, cria os pratos na hora numa interessante troca de experiências.

Antenado, está sempre em busca de informações. Sua referência de restaurante japonês é o paulistano Nakka, comandado pelo sushiman Hermes Takkeda, e onde a comida é concebida com primor e muito zelo.

Para os clientes que querem provar de tudo, o Kenshi tem um rodízio. Na avaliação de Carlos, a resposta do consumidor cuiabano à comida japonesa foi muito positiva. “É uma comida saudável e as pessoas passaram a cuidar mais da saúde e do corpo. Os japoneses vivem muito e bem e isso, certamente se deve à alimentação”, conclui. 

Serviço

A casa abre às 18 horas de terça a domingo, sendo que na sexta e sábado o atendimento vai até meia-noite e meia (00h30), e nos demais dias até as 23 horas.
O serviço de dellivery, que representa 15% do movimento, é feito todos os dias das 18 às 23h.

 

* Página semanal com atualização às quintas-feiras

Voltar Imprimir

Comentários

Enquete

Você sabe o que é o voto útil?

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 19/09/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21.800 -0.680

Algodão R$ 119.900 0.130

Boi a Vista R$ 129.000 0.000

Soja Disponível R$ 72.000 -1.370

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.