Publicidade

Cuiabá, Terça-feira 25/06/2019

Variedades - A | + A

na capital 05.04.2019 | 10h22

SP-Arte: Contemporâneos se destacam no evento, que não deixa de lado modernistas

Facebook Print google plus

CONTEÚDO ESTADÃO

A SP-Arte chega à sua 15ª edição oferecendo à cidade um pouco de tudo: traz tendências do mercado de arte internacional, como seções de design e de performance, além dos artistas mais proeminentes da atualidade, sem deixar de lado, contudo, autores considerados clássicos, muito conhecidos e valorizados pelo grande público. No maior festival de arte da América Latina, pode-se admirar - e adquirir - obras de autores consagrados, dos modernos aos contemporâneos.

Exemplos para ilustrá-los não faltam. Entre os brasileiros ligados à arte moderna, pode-se destacar Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Cândido Portinari e tantos outros. Entre os estrangeiros de tal momento histórico, vem à cabeça um nome muito conhecido: o do espanhol Pablo Picasso. Beatriz Milhazes, Adriana Varejão, Hélio Oiticica e Ernesto Neto, autores nacionais, são famosos pela atuação na arte contemporânea, assim como a colombiana Doris Salcedo e o alemão Thomas Schönauer. Todos os citados têm obras expostas na SP-Arte.

Mas, afinal, qual a diferença entre a arte moderna e a contemporânea? A realidade é que não há consenso absoluto sobre a definição e duração de cada uma delas, embora seja possível traçar características importantes em relação aos dois conceitos.

A curadora Denise Mattar define uma marca da arte contemporânea: dar ao artista a possibilidade de misturar diferentes formas de fazer arte, no momento da criação. "Sobre o período, a rigor, arte moderna seria da Semana de 22 até o final dos anos 1950; aí, vem a contemporânea", completa.

Proprietário da Galeria Nara Roesler, Alexandre Roesler diz que a grande diferença entre as artes moderna e contemporânea, embora de maneira genérica, é que a primeira trabalhava mais com obras de caráter figurativo. "Usavam esculturas em pedestais e materiais mais tradicionais, como tinta a óleo, mármore, bronze etc."

Flávio Cohn, da Dan Galeria, diz que a arte moderna é a contemporânea do passado. "Quando nasceu, olhava para o passado com o mesmo respeito que temos hoje."

O momento posterior é marcado, por sua vez, entre outras características, pela habilidade de se utilizar materiais menos convencionais, como plástico, acrílico e ferro. "Ocorre uma verdadeira contaminação entre as mídias", afirma Denise. Antonia Bergamin, da Galeria Bergamin & Gomide, pondera: "Difícil classificar alguma coisa, existem vários artistas que transitam entre os dois mundos."

Via de regra, obras de artistas modernistas são bastante caras. Isso explicaria a mudança no mercado de arte, notada por galeristas. "Hoje, há uma tendência de atualização, com uma busca maior da arte contemporânea", afirma Cohn. O público que investe em obra de arte estaria mudando - mais jovem, tem preferido investir em novos talentos para começar a formar uma coleção.

Uma obra de arte contemporânea - e claramente não convencional - está exposta na SP-Arte 2019, mais especificamente no estande da Galeria Bergamin & Gomide. Trata-se de uma criação sem título de Doris Salcedo, artista que preencheu de cimento uma velha cômoda. "Sai do propósito de uso, é a utilização de um objeto que não tem mais aquela função", diz Antonia. "Os artistas conceituais, como Doris, pensam uma ideia e a transmitem sem usar palavras. É uma coisa diferente do que se estava acostumado a ver: pessoas usando a arte para retratar a realidade."

SP-ARTE 2019

Pavilhão da Bienal. Parque do Ibirapuera. Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n, portão 3. De 4 a 6 de abril, das 13h às 21h; e 7 de abril, das 11h às 19h (preview no dia 3 de abril, exclusivo para convidados). Entrada: R$ 50 (meia-entrada a R$ 20); gratuito para crianças de até dez anos.


As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

(Com Agência Estado)

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

GD

GD

Enquete

Quem deve se responsabilizar por danos materiais causados no ambiente escolar?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 25/06/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,25 1,32%

Algodão R$ 90,37 -0,03%

Boi a Vista R$ 135,00 0,00%

Soja Disponível R$ 64,60 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.