Publicidade

Cuiabá, Quarta-feira 23/10/2019

Colunas e artigos - A | + A

17.09.2019 | 11h22

As cidades e as mudanças climáticas

Facebook Print google plus

Luiz Pladevall

Reprodução

Reprodução

Tão linda, tão bela... e agora tão quente. Assim é a cidade de Paris no verão europeu. Temperaturas recordes que provocaram um sufoco danado em milhares de pessoas. Sem dúvidas, o calor que atinge o Hemisfério Norte é resultado direto das mudanças climáticas, que vêm se acelerando nos últimos anos.

 

O paulistano já sabe muito bem o que isso quer dizer. Entre 2014 e 2016, a crise hídrica que atingiu a Região Metropolitana de São Paulo disparou o alerta sobre o uso racional dos recursos hídricos. Por outro lado, no último verão, as fortes chuvas que atingiram a capital paulista inundaram ruas e avenidas, provocaram destruição e deixaram o morador da capital de São Paulo em alerta.

 

Os desastres naturais não escolhem nações. Até mesmo os EUA se deparou, em setembro de 2018, com as tempestades que atingiram a Carolina do Norte. O resultado dessa catástrofe se traduziu em cerca de 120 mil pessoas desalojadas. Em 2013, no também estado norte-americano do Colorado, 12 mil pessoas tiveram que deixar suas casas atingidas pelas tempestades.

 

As mudanças climáticas cada vez mais estarão presentes no nosso cotidiano. Os efeitos devastadores como em Paris, São Paulo ou nos EUA vão incomodar com mais frequência as populações, principalmente das regiões metropolitanas. As cidades e os moradores não estão preparados para enfrentar situações extremas. No caso das enchentes, nem mesmo dispositivos de prevenção, como os piscinões, são capazes de suportar o volume das águas das chuvas.

 

A ciência já nos permite antever esses fenômenos extremos com algumas horas de antecedência, mas os estragos são inevitáveis diante do volume de chuvas. Os municípios têm a possibilidade de construir piscinões e parques lineares como forma de reduzir esses impactos. Outra medida é investir pesadamente na destinação correta do lixo, que durante as tempestades entopem os bueiros, aumentando ainda mais os estragos.

 

Mas precisamos ir além das medidas para diminuir os impactos das mudanças climáticas. Nosso papel é repensar no nosso modelo de uso dos recursos naturais e buscar preservá-los para reduzir os problemas já presentes no nosso dia a dia. Caso contrário, as vidas nas cidades ficarão cada vez mais difíceis.

 

Luiz Pladevall é engenheiro, presidente da Apecs (Associação Paulista de Empresas de Consultoria e Serviços em Saneamento e Meio Ambiente) e vice-presidente da ABES-SP (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental).

 

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Jornal do Meio Dia - JM

Jornal do Meio Dia - JM

GD

GD

Enquete

Quais são os principais problemas do bairro onde você mora?

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 23/10/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,50 -0,97%

Algodão R$ 89,91 -0,12%

Boi a Vista R$ 138,00 0,00%

Soja Disponível R$ 69,00 0,29%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.