Publicidade

Cuiabá, Terça-feira 15/10/2019

Brasil - A | + A

extração ilegal 20.06.2019 | 09h32

PF prende 20 em ação de combate ao contrabando de ouro brasileiro

Facebook Print google plus

Divulgação/PF

Divulgação/PF

Uma ação conjunta entre a Polícia Federal e a Receita Federal deflagrada nesta última terça-feira (18) prendeu ao menos 20 pessoas em cidades do Pará, Amapá, Góias e São Paulo, que integravam uma organização criminosa que contrabandeava, sonegava e lavava dinheiro de atividades ilegais de extração de ouro.

 

Leia também - 54 pessoas são abordadas nas primeiras horas da Operação Corpus Cristi

 

Segundo a Receita Federal, ao menos 20 empresas atuavam nas atividades de compra e venda de ouro sem autorização do Banco Central e sem prestar as declarações necessárias para comercializar o mineral e recolher os impostos.

 

O esquema auxiliava na lavagem de dinheiro, já que no processo de compra e venda do ouro, parte dele era transformado em jóias fabricadas com o metal precioso que eram revendidos em grandes capitais e utilizadas para "tornar legal" dinheiro obtido de forma ílicita como o tráfico de drogas e até mesmo corrupção.

 

"Diversos estabelecimentos comerciais no Oiapoque/AP seriam destinos de ouro extraído clandestinamente da região fronteiriça entre Brasil, Guiana Francesa e Suriname", afirmou a PF em nota.

 

Além das apreensões e prisões, a Justiça Federal ainda determinou o bloqueio de R$ 146 milhões e a suspensão e proibição das atividades comerciais e financeiras de todas as pessoas investigadas na operação.

 

Em uma análise de dados feita pela Receita Federal apontou ainda que a maior parte das empresas e sócios não possuíam um lastro financeiro compatível com o negócio, o que despertou suspeitas.

 

"Além disso, projeções da RFB apontam a falta de recolhimento de tributos federais no valor aproximado de R$ 55 milhões, desconsiderando-se multa e juros", afirmou a Receita em nota.

 

Segundo a PF, grande parte do ouro comercializado vinha de garimpos ilegais e os investigados podem responder por crimes de lavagem ou ocultação de dinheiro, , receptação, crimes financeiros, associação criminosa e até mesmo usurpação de matéria prima da união, pela extração ilegal do metal.

 

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Jornal do Meio Dia - JM

Jornal do Meio Dia - JM

GD

GD

Enquete

Ter um diploma leva a uma maior remuneração?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 15/10/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 18,00 0,00%

Algodão R$ 95,25 -1,48%

Boi a Vista R$ 133,29 -0,02%

Soja Disponível R$ 65,90 -1,64%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.