Publicidade

Cuiabá, Quinta-feira 16/07/2020

Cidades - A | + A

sem opções 26.02.2020 | 07h16

AL não derruba veto e pedágios não aceitarão cartões como pagamento

Facebook Print google plus

Chico Ferreira

Chico Ferreira

Na contramão de outros estados, que aceitam cartão de débito e crédito para pagar a tarifa do pedágio, Mato Grosso continua aceitando apenas o pagamento em dinheiro em rodovias concedidas a iniciativa privada. O veto do governador Mauro Mendes (DEM) ao projeto foi mantido pela Assembleia Legislativa. 

 

O projeto, que visava permitir o pagamento de pedágios em cartões de crédito e débito, é de autoria do deputado estadual Silvio Fávero (PSL). No texto, o parlamentar observa que o modelo de cobrança não está isento de problemas, uma vez que os usuários e outros estudiosos do setor criticam a falta de opção.

 

Na prática, o projeto de lei altera e acrescenta dispositivos à Lei nº 8.620/2006, que institui tipos restritos de cobrança. Fávero afirma que é necessário facilitar a vida dos consumidores.

 

Leia também - Confira quais os novos dias e horários da coleta de lixo nos bairros da capital

 

A proposta estabelece também que as concessionárias operadoras das rodovias estaduais ficam obrigadas a emitir e armazenar eletronicamente Nota Fiscal (NFS-e) relativa ao serviço prestado.

 

De acordo com dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SBC) de 2017, o cartão de crédito e débito é a opção de pagamento preferida de 4 a cada 10 brasileiros. A falta de opções no pedágio, por exemplo, pode pegar os motoristas de surpresa.

 

Foi o que aconteceu com a empresária Elisandra Curvo, que costuma dirigir bastante em estradas. “Se tivesse cartão, facilitaria a nossa vida. Porque às vezes a gente não tem a grana ou esquece, como aconteceu comigo, que várias vezes já me esqueci de sacar e passa aperto”, aponta.

 

Quando o motorista não tem o valor exato da tarifa, precisa retornar ou esperar que alguém lhe empreste dinheiro, o que gera transtornos. Elisandra relembra que há cerca de um mês, de passou por essa situação, na estrada de Jangada (80 km ao Norte de Cuiabá).

 

“Já aconteceu lá em Jangada, em que esqueci e fiquei esperando um rapaz, que me emprestou o dinheiro e depois disse para depositar”.

 

Sobre o valor cobrado, a empresária reconhece o serviço prestado pela Rota do Oeste, na BR-163. “Quando eu precisei do trabalho deles foi muito rápido. Às vezes a gente reclama, mas eles foram bem eficientes”.

 

Ela já precisou da ajuda da concessionária, quando o motor do seu veículo estragou a caminho de Rondonópolis (212 km ao Sul). “Meu celular não funcionou e um rapaz ligou para a Rota. Em dez minutos levaram o guincho e foram muito educados”, disse.

 

Outro lado

A reportagem entrou em contato com a Rota do Oeste, que informou que o sinal de internet em Mato Grosso é muito ruim para atender os terminais com pagamento em cartão. Portanto, além do dinheiro, os pedágios aceitam pagamento em Tag. Cerca de 70 mil veículos passam por dia pela BR-163. Veja as respostas na íntegra:

 

A tarifa cobrada em cada praça é calculada de acordo com a área de abrangência de cada uma. O cálculo dos valores é feito pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) a partir da tarifa básica estabelecida em leilão.

O site da Rota do Oeste possui todos os valores cobrados e podem ser acessados pelo link abaixo:

http://www.rotadooeste.com.br/pt-br/rodovia/pedagio

 

A Rota do Oeste preza pela agilidade em prol do conforto do usuário. O sinal de rede de internet em Mato Grosso não tem ampla cobertura, o que inviabiliza a forma de pagamento por cartão. Sem contar que esta opção pode ainda trazer problemas como erro de leitura do chip do cartão, esquecimento de senha por parte do usuário e outros fatores que podem gerar filas e fazer com que o condutor permaneça na praça mais tempo do que o necessário.

 

 

O pagamento em dinheiro com a moeda nacional é uma das opções para o usuário, mas a Concessionária acredita que a forma mais viável seja por meio da Tag, pois com ela o motorista pode usar as vias automáticas e seguir viagem de forma mais rápida, não só em Mato Grosso, mas em todo o país. O nosso site também orienta os usuários, dispondo das opções de empresas que operam o sistema de Identificação Automática de Veículos (AVI).

 

 

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

ILDO DA SILVA - 26/02/2020

Este Governo que ai esta so beneficia empresarios, todos os projetos de interesse do povo sempre e vetado, recentemente ja alterou projeito de lei aumentando impostos, inclusive inviabilizando algumas pequenas empresas que estam fechando, deixando de gerar pagamento de tributos e principalmente postos de trabalho,

1 comentários

1 de 1

Enquete

Você acredita na eficácia das barreiras sanitárias implantadas em Cuiabá?

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 15/07/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 24,50 -0,61%

Algodão R$ 93,29 -0,12%

Boi a Vista R$ 134,85 -0,35%

Soja Disponível R$ 65,61 -0,18%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.