Publicidade

Cuiabá, Sábado 26/09/2020

Cidades - A | + A

'#JustiçaPorBele' 14.08.2020 | 09h12

Amigos se mobilizam e morte de Isabele vira assunto mais comentado do Twitter no Brasil

Facebook Print google plus

Arquivo pessoal/Reprodução

Arquivo pessoal/Reprodução

Morte de Isabele Ramos, 14, se tornou o assunto mais comentado na rede social Twitter, em nível nacional, na manhã desta sexta-feira (14). A hashtag #JustiçaPorBele foi encabeçada por amigos e familiares, entre eles, o irmão da menina. A corrente ganhou apoio de personalidades da internet, como influenciadora digital Kéfera Buchmann. As mensagens cobravam uma resposta das autoridades para o crime ainda não esclarecido, bem como a punição dos responsáveis.

 

A mobilização começou na noite de quinta-feira (13), ganhando os tópicos dos assuntos mais comentados. Mas foi na madrugada de sexta que se tornou o terceiro tópico mais comentado da rede social, chegando ao primeiro por volta das 8h30 (horário de Mato Grosso). A mobilização acontece dois dias após a morte de Isabele completar 1 mês. Ela foi morta dentro da casa de uma amiga no condomínio Alphaville, em Cuiabá. Um tiro acertou sua narina e saiu pela nuca.

 

Leia também - Vídeos mostram incêndio em vegetação do aeroporto de VG

 

Em uma das mensagens, uma internauta comentou que é "decepcionante em ver que 30 dias após a morte da Isabele, a Justiça nada fez. Pai e filha soltos. Não foi acidental, a garota sabe muito de armas como se vê aí. #JustiçaPorBele".
Já outra usuária da rede social afirma que tudo o que aconteceu "partiu" seu coração. "Que a Justiça seja feita o mais rápido possível. Mãos dadas #JustiçaPorBele".

 

"É inadmissível tantas mentiras e furos nos depoimentos. Estamos falando de uma vida, uma adolescente que tinha um futuro brilhante pela frente. Não pode ficar assim", desabafou outra jovem. As mensagens compartilhadas traziam ainda fotos e vídeo de Isabele em vários momentos, seja sozinha ou reunida com os amigos.

 

Irmão de Isabele aproveitou o movimento e compartilhou um vídeo com alguns momentos da irmã. Na legenda, ele escreveu: "saudade de você, irmã". Em seguida, postou uma foto ao lado do pai, neurocirurgião Jony Ramos, que morreu dois anos atrás, em um acidente de moto em Chapada dos Guimarães. Na legenda ele diz: "não me esqueci de você não, papai".

 

Morte
Isabele estava na casa das amigas desde o começo da tarde de domingo, 12 de julho, lá fizeram bolo, aproveitaram o dia até que, por volta das 21h50, uma tragédia tirou sua vida. Ela foi baleada no nariz e acabou morrendo dentro do banheiro de uma das suítes da casa.

 

A investigação é complexa, já que a cena do crime foi vista e visitada por muitas pessoas, entre elas amigos do dono da casa. A arma do crime foi levada até o local pelo namorado da adolescente investigada, um menor de 16 anos. Tanto o casal, como os outros membros da família Cestari, são atiradores esportivos e tinham conhecimento dos materiais que manuseavam nos treinamentos.

 

Por isso, a defesa da família de Isabele não concorda com a tese de tiro acidental. A mãe dela, Patrícia Hellen Ramos Guimarães, já declarou em entrevistas que a filha foi assassinada e que busca entender a motivação do crime tão cruel. O caso sengue sendo investigado.

 

Laudos da Perícia Oficial já apontaram que o tiro não foi acidental, diferente do que foi apontado pela menor investigada. No estudo, fica claro que a arma não dispara sozinha. Na versão dela, o tiro foi dado assim que a case da arma escorregou e ela tentou segurá-lo. Mas, a perícia confirma ainda que o tiro foi dado segurando a arma a uma altura de 1,44 metros do piso, com alinhamento horizontal e distância entre 20 a 30 centímetros da face de Isabele.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Valdesangela - 14/08/2020

Se tem justica nesse mundo que seja feita o mas rapido possivel e cinceridade nao e pangando fianca ou pagando qual quer valor que vai trazer a vd dela de volta cadria seria uma forma da mae centi nem que seja um pouco de alivio mas nada tira a dor que ela ta centindo ou passando des daperca da filha o que mas doi e ve que a menina esta morta eles livre e a inda nada foi feito e nem resolvido e ve a mae sofrendo por ve isso tudo e nao pode fazer nada e por isso que muitos perde a paciencia e fazem justica por conta propria por que a justica as vezes deixa por deseja

María - 14/08/2020

Coloca mas na Mídia peça ajuda na imprensa para não morrer no esquecimento enquanto não haver justiça. Somente a mídia mesmo para fortalecer que a justiça seja feita.

2 comentários

1 de 1

Enquete

Onze candidatos disputam o Senado, você acha que o número amplia o leque de propostas ou mostra a desunião da classe política?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 25/09/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 22,90 2,69%

Algodão R$ 90,23 0,33%

Boi a Vista R$ 133,00 0,00%

Soja Disponível R$ 64,40 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.