Publicidade

Cuiabá, Domingo 05/04/2020

Cidades - A | + A

alternativas 18.01.2020 | 17h40

Comidas tradicionais de MT em versões vegetarianas; veja

Facebook Print google plus
Ana Flávia Corrêa

anaflavia@gazetadigital.com.br

Marcus Vaillant

Marcus Vaillant

Pratos como peixe frito, farofa de banana e galinha com arroz fazem parte não só da cultura mato-grossense, como também da memória afetiva de quem cresceu degustando as receitas de família ou de algum restaurante tradicional.

 

Leia também - Incerteza, fome e esperança são realidade em ocupação ilegal

 

Mas quem decidiu parar de comer carne e produtos de origem animal, seja pela questão ética, ambiental ou de saúde, deixa de consumir essas delícias? Segundo explicou o cozinheiro Eduardo Vinícius, não necessariamente. Existem substitutivos desses ingredientes que, se bem temperados, se assemelham ao gosto os ingredientes de origem animal nas receitas tradicionais de Mato Grosso. 

 

"Como você não pode comer uma mujica de pintado, de pintado mesmo, você acaba se virando. Você não pode comer uma galinha com arroz, uma Maria Isabel, você então dá 'seus pulos' e faz de outra forma. Acaba ficando gostoso igual", assegurou. 

 

Vegano há quase 10 anos, o cozinheiro residente em Chapada dos Guimarães precisou aprender a fazer suas próprias comidas. Mesmo não sendo mato-grossense, ele chegou no estado em 2015 e teve contato direto com cultura regional. O pequi e a farofa de banana, por exemplo, começaram a fazer parte de sua dieta.

 

Os pratos mais elaborados, por outro lado, precisaram ser adaptados. Mas ele assegura que não houve qualquer dificuldade. Conforme explicou, o segredo das comidas vegetarianas e veganas são os temperos escolhidos.

 

"Eu parei de comer carne por conta de um ideal filosófico e não porque eu não gostava do gosto. Então eu fui para o experimento de tentar fazer comidas que lembrassem o que eu comia antes para suprir a vontade de comer aquilo que eu parei. Fui aprendendo a utilizar os alimentos que deem um gosto parecido", explicou. 

 

A galinha com arroz e pequi, por exemplo, é possível ser feita com grão de bico. O segredo para o gosto ficar semelhante à tradicional é acrescentar o açafrão. Já a carne seca com banana pode ser feita com a própria casca da banana como substitutivo para a carne. O tempero utilizado, neste caso, é a páprica defumada, tempero tradicional em pratos latino-americanos. 

 

"A carne de jaca por exemplo a gente pode usar para fazer uma galinha com arroz. A jaca verde tem muito aqueles fiapos que têm a consistência igualzinha a de um frango desfiado. Então muitas pessoas já confundiram quando comeram", disse. 

 

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Edição digital

Domingo, 05/04/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,70 -1,75%

Algodão R$ 117,05 1,07%

Boi a Vista R$ 139,67 0,00%

Soja Disponível R$ 68,80 0,58%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.