Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 28/02/2020

Cidades - A | + A

falha médica 24.01.2020 | 18h00

Familiares e amigos apontam negligência após dentista morrer no parto

Facebook Print google plus

Reprodução

Reprodução

A dentista Flávia Voss, de 24 anos, morreu após ter complicações no parto da primeira filha, no Hospital Municipal Santo Antônio, em Aripuanã (1002 km a noroeste), na madrugada de quarta-feira (22). Familiares e amigos da dentista apontam que ela morreu em decorrência de negligência médica.

 

De acordo com a amiga e também dentista, Sidilaine Breda, Flávia tinha marcado uma cesária na segunda-feira (20), às 13h. Ao chegar no hospital, três pacientes foram atendidos na frente dela. Quando chegou a vez de Flávia, os médicos a dispensaram. “Na hora que atenderam, falaram que ainda não era a hora do parto e ela foi para casa”, disse Sidilaine ao .

 

Leia também - Governo nomeia 300 aprovados em concurso da educação

 

Na manhã de terça-feira (21), a dentista retornou para o hospital, desta vez com fortes dores por conta das contrações. Ainda assim, ela foi atendida por volta das 18h, porque informaram que não havia roupa estéril para a cirurgia e ela deveria aguardar pela lavagem e secagem.

 

As dores aumentaram durante a espera e Flavia chegou a mandar uma mensagem para a amiga dizendo que “estava com medo de morrer”. Ela foi para a cirurgia por volta de 19h15, porém, a anestesia não funcionou, e Flávia teve que fazer a cesária sem medicamentos.

 

Logo quando a criança nasceu, a dentista teve convulsões e hemorragia interna. Às 4h, ela não resistiu as complicações e faleceu. “Ela madrugada de quarta-feira, nem chegou a conhecer a criança”, lamenta a amiga.

 

Sidilaine relata que conversou com uma enfermeira que atendeu Flávia. Segundo a enfermeira, a jovem chorava e gritava muito, enquanto passava pelo trabalho de parto. “O médico dizia que tinyha que esperar dilatar para fazer o parto, o que não fazia sentido. Por que esperar pra dilatar, se ela ia fazer uma cesária?”, questiona.

 

Revoltados, familiares e amigos apontam que houve falha médica e no atendimento de Flávia. Eles publicaram a indignação nas redes sociais. Várias mulheres relataram que passaram por situações parecidas no hospital.

 

A amiga ainda conta que o marido e mãe de Flávia ainda estão muito abalados com a morte dela. Porém, entrarão com medidas cabíveis assim que possível.

 

Outro lado
A reportagem tentou entrar em contato com a Secretaria Municipal de Saúde, que não atendeu as ligações. A coordenadora do Hospital Santo Antônio estava em reunião, e até o fechamento desta matéria, não obteve resposta.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

jose a silva - 25/01/2020

Essa tal de reunião é a desculpa dos covardes e culpados para fugir da verdade! Repartições de governo, toda hora e todo mundo em reunião!

1 comentários

1 de 1

Enquete

Número de delações premiadas significa que MT está sendo passado a limpo?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 28/02/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 18,80 0,27%

Algodão R$ 90,04 -0,53%

Boi a Vista R$ 137,33 0,24%

Soja Disponível R$ 64,00 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.