Publicidade

Cuiabá, Domingo 20/09/2020

Cidades - A | + A

2020 30.01.2020 | 09h13

Mais de 1.900 gestantes recebem tratamento integral na Rede SUS de Várzea Grande

Facebook Print google plus

Divulgação

Divulgação

A Unidade Básica de Saúde (UBS) deve ser a porta de entrada da gestante no Sistema Único de Saúde -Rede SUS. E em Várzea Grande, esse público específico possui atenção integral desde o diagnóstico da gravidez, acompanhamento do período gestacional, exames, tratamento odontológico, parto e pós parto. Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, as 21 UBS iniciaram o ano de 2020 no acompanhamento de 1.920 gestantes, incluindo as Estratégias Saúde da Família (ESF) – os antigos PSFs.

“Em Várzea Grande, toda mulher tem o direto ao planejamento reprodutivo, atenção humanizada à gravidez, ao parto e ao puerpério (pós-parto), bem como as crianças têm o direito ao nascimento seguro e acompanhamento médico. O cuidado e o respeito, centrado na pessoa, é utilizado como ferramenta fundamental na Atenção Primária à Saúde em nosso município”, afirma o secretário municipal de Saúde, Diógenes Marcondes.

 

Leia também - Com surto de dengue, Sinop estende horário de postos de saúde

O acompanhamento pré-natal completo que vai desde exames laboratoriais e de ultrassonografia obstétrica, consultas regulares, participação em programas sociais como o Laços Maternos, tratamentos estratégicos como a fisioterapia para gestante e encaminhamento à Rede Cegonha (para o nascimento) iniciam com a realização do cadastro da gestante.

“Após confirmada a gravidez seja por teste rápido que dispomos nas unidades de saúde, teste clínico ou ainda exame de sangue, a gestante é encaminhada para preenchimento da ficha de cadastramento do E-SUS e do Cartão da Gestante. A Caderneta da Gestante é um instrumento fundamental para o registro das informações de acompanhamento da gestação e é parte essencial do processo, sendo utilizada em todas as consultas do pré-natal. Com ela fazemos um acompanhamento longitudinal e continuado da gestante pois nele irá constar todo o histórico da gravidez. Seja as consultas realizadas, remédios, vacinas e exames. Também é através dele que a mulher gestante poderá ser encaminhada ao pré-natal de alto risco ou à urgência e emergência obstétrica, caso seja necessário”, explica a superintendente da Atenção Primária no município, Celina Thereza Bernardes.

De acordo com o secretário Diógenes Marcondes é objetivo da assistência pré-natal acolher a mulher desde o início de sua gravidez por se tratar de período de mudanças físicas e emocionais que cada gestante vivencia de forma distinta. “Essas transformações podem gerar medos, dúvidas, angústias, ou simplesmente a curiosidade de saber o que acontece no interior de seu corpo. Na construção da qualidade da atenção pré-natal está implícita a valorização desses aspectos, traduzida em ações concretas que permitem sua integração no conjunto das ações oferecidas”, enfatiza o secretário.

Um exemplo dessas ações citadas pelo secretário são as visitas domiciliares realizadas pelos agentes comunitários das unidades Estratégias Saúde da Família (ESF). As visitas reforçam o vínculo estabelecido entre a gestante e a unidade básica de saúde e, apesar de estar voltada à gestante, tem caráter integral e abrangente sobre a família e o seu contexto social. Assim sendo, qualquer alteração ou identificação de fator de risco para a gestante ou para outro membro da família é observada e discutida com a equipe na unidade de saúde.

 

“O Objetivo maior de ofertar na Rede SUS de Várzea Grande a atenção integral a gestante, é trabalhar na redução da taxa de mortalidade infantil. Hoje na nossa rede 90% das gestantes, segundos dados da Saúde Pública do município, tiveram 3 a 7 consultas do pré-natal. Estipulamos a meta de 4 à 7, e estamos dentro do planejado, o que apontou a redução almejada.São dados importantes e significativos, e o melhor as crianças estão nascendo no nosso município, com atendimento qualificado e especializado”, argumentou Diógenes Marcondes.

Esse serviço ocorre por exemplo na Estratégia Saúde da Família (ESF) ‘Maria Galdina da Silva’, localizada no bairro Vila Arthur. Na unidade, estão sendo acompanhadas atualmente 62 gestantes que recebem atenção especial com dia específico para consultas, roda de conversas, retirada de vitaminas e medicamentos, e, a participação no programa Laços Maternos.

Na Unidade Básica de Saúde do bairro Aurília Curvo a adesão das mulheres ao pré-natal também está relacionada com a qualidade da assistência prestada pelo serviço e pelos profissionais de saúde, o que, segundo o médico de Saúde da Família Windison Carlos, é essencial para a redução dos índices de mortalidade materna e perinatal, bem como controlar a densidade populacional.

“Além desse acompanhamento encaminhamos as gestantes para a fisioterapia obstétrica,também ofertado gratuitamente pela Rede Pública de Saúde de Várzea Grande. E, finalmente à Rede Cegonha que garantirá um parto humanizado e priorizara a saúde da mãe e da criança. A Rede Cegonha é estratégica para proporcionar às mulheres saúde, qualidade de vida e bem estar durante a gestação, parto, pós-parto e o desenvolvimento da criança até os dois primeiros anos de vida”, completa a superintendente da Atenção Primária no município.

Larissa Batista Viana, 21 anos, está grávida de seu segundo filho e afirma que o serviço oferecido pela rede pública de saúde em Várzea Grande à gestante é de qualidade. “O acompanhamento da minha primeira gravidez foi realizado aqui na unidade ‘Maria Galdina da Silva’ e fui muito bem tratada. Tanto é que na minha segunda gestação também estou fazendo o pré-natal aqui. As enfermeiras são atenciosas, a médica é excelente. Eles realmente se Preocupam conosco. São realizados vários exames de ultrassonografia durante o pré-natal. São todos serviços de qualidade e respeito à mulher gestante”, declarou.

Suelen Teixeira Soares, de 22 anos, está na sua primeira gestação e disse ter ficado surpresa com a qualidade do serviço oferecido. “Eles cuidam da gente e nos sentimos acolhidas. Fiquei surpresa com todos os serviços oferecidos. Inclusive estou aprendendo a fazer o enxoval para o meu filho, no projeto Laços Maternos”, afirma.

Laize Martins da silva, de 20 anos, também está grávida de seu segundo filho e procurou a saúde pública do município nas duas gestações. “Eu voltei porque fui bem atendida na minha primeira gestação. Toda a equipe está de parabéns, e o melhor meu primeiro filhos nasceu com todos os seus direitos preservados e garantidos no SUS ainda ele com muita saúde ”.

Fisioterapia Obstétrica - Gestantes que realizam o pré-natal na rede pública de saúde em Várzea Grande possuem a oportunidade de realizar exercícios terapêuticos para cada fase, com o objetivo de corrigir vícios posturais, fortalecer e conscientizar sobre os músculos do assoalho pélvico, diminuir as dores, inchaço corporal além de prevenir o excesso de ganho de peso diminuindo os riscos de diabetes gestacional.

Semanalmente são realizados por grupos de gestantes, exercícios de alongamento e fortalecimento, trocar experiências, tirar suas dúvidas e se prepararem para o parto. Durante as sessões na fisioterapia também são promovidos rodas de conversas com temas variados como gravidez, parto, amamentação e cuidados maternos no puerpério.

Segundo o medico de Saúde da Família, Windison Carlos, as gestantes que possuem esse acompanhamento afirmam que se sentem melhor a cada sessão, as dores diminuem e o medo do parto e as dúvidas vão desaparecendo.

“Para cada fase da gestação são realizados exercícios específicos. Gestantes que realizam atividade física na gravidez possuem melhor qualidade de vida, mais disposição para tarefas diárias, e possuirão um parto e pós parto mais tranquilo” afirma o médico que orienta “para iniciar a fisioterapia é necessário que a gravidez seja de baixo risco com liberação médica”.

“Além do acompanhamento fisioterapêutico durante o pré- natal as gestantes recebem orientações de posicionamentos e exercícios que favorecem a descida fetal e a diminuição das dores com métodos não farmacológicos. Também orientamos sobre a importância do parto normal e como essa opção pode favorecer um nascimento mais rápido, tranquilo e respeitoso para bebe e mãe”, completa.

Projeto Laços Maternos – Atende anualmente cerca de 1000 mulheres com atendimentos médicos, sociais, oficinas de profissionalização, além da produção própria do enxoval do bebê.

Coordenado pela Secretaria Municipal de Assistência Social de Várzea Grande visa proporcionar qualidade de vida às futuras mães e seus bebês ofertando proteção, orientações, acompanhamento, assistência médica e social, além de acolhimento e apoio às gestantes facilitando o entendimento de suas transformações, buscando trazer maior nível de consciência e maturidade do que se passa dentro e fora do corpo, envolvendo emocional, físico e o social, até o nascimento do bebê, onde a mãe, já sabe onde vai nascer e na garantia de cuidados dentro da Rede SUS no período do nascimento, e no decorrer do crescimento da criança.

Dentro desta iniciativa, semanalmente, são realizadas palestras ministradas por uma equipe multidisciplinar que levam às mulheres gestantes temas relacionados a gravidez e também trabalhos artesanais, onde as futuras mamães aprendem a confeccionar o seu enxoval. Ao final da gravidez a gestante leva pra casa um kit com diversos produtos que auxiliam nos cuidados com o bebê. Tudo é oferecido pelo município de forma inteiramente gratuita.

 

“Trabalho artesanal traz benefícios para saúde mental.Desenvolver a mente e equilibrar o emocional é o objetivo do projeto Laços Maternos. O artesanato como terapia, trabalha a concentração, equilibra o emocional e desenvolve a criatividade. Esses são fundamentos que o artesanato e trabalhos manuais estimulam com a pratica inclusive melhorando a saúde emocional e mantendo o equilíbrio. O artesanato tem qualidades que são benéficas para o desenvolvimento do cérebro e da saúde emocional .Hoje pesquisas em neurociência, mostram que artesanato, têm muito em comum com a questão da atenção plena e da meditação – é relatado que todos têm um impacto positivo na saúde mental e bem-estar.Para a gestante e muito importante ter o equilíbrio emocional, ajuda no desenvolvimento do bebê e o próprio bem estar da mãe”, finalizou explicando o secretário.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Onze candidatos disputam o Senado, você acha que o número amplia o leque de propostas ou mostra a desunião da classe política?

Parcial

Edição digital

Domingo, 20/09/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 25,10 0,40%

Algodão R$ 95,28 -1,05%

Boi a Vista R$ 137,00 -0,36%

Soja Disponível R$ 64,70 0,15%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.