Publicidade

Cuiabá, Domingo 29/11/2020

Cidades - A | + A

DEU EM A GAZETA 25.10.2020 | 07h13

Mais de 9,8 mil processos se 'arrastam' na Justiça de MT

Facebook Print google plus

Chico Ferreira

Chico Ferreira

Mais de 9,8 mil processos de acidentes de trânsito “arrastam” em Mato Grosso. Os números são do Tribunal de Justiça e referem-se apenas aos casos de primeira instância. Do total tramitam em Cuiabá 5.192 ações e em Várzea Grande 616. Familiares de vítimas do trânsito lamentam a falta de punição para os crimes, processos que demoram anos e penas baixas.  

 

No dia 13 de outubro, presidente Jair Bolsonaro sancionou projeto de lei 3267/19, que altera o Código de Trânsito Brasileiro. As novas regras, que passam a valer em 180 dias, trazem mudanças dobrando a quantidade de pontos na carteira e aumentando validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Receio de quem conhece a realidade do trânsito é que as alterações aumentem a impunidade.  

 

Leia também - Nove pessoas morreram de covid-19 em MT em 24h

 

Não poder abraçar o pai, as ausências em datas comemorativas são realidades com as quais Francinilda da Silva Lúcio tem que conviver diariamente. Ela perdeu o pai, o verdureiro Francisco Lúcio Maio, em um acidente na Miguel Sutil no dia 14 de abril de 2018. O homem retornava para casa com carrinho de verduras após um dia de trabalho e, por volta das 19h30, foi atropelado pela médica Letícia Bortolini.  

 

“É uma sensação de incapacidade, tudo é demorado, tudo é muito lento. O mais triste é tratar de uma pessoa que tinha toda a capacidade de parar para dar assistência, para chamar o Samu, dar talvez os primeiros atendimentos. Ela fez o juramento de salvar vidas e não fez o que deveria”  

 

Mais de 2 anos após a morte de Francisco, ainda não houve audiência sobre o caso. No Conselho Regional de Medicina, o cadastro da médica continua regular, atuando normalmente. A médica responde por homicídio doloso (quando não há intenção de matar), omissão de socorro, embriaguez ao volante, e por se afastar do local do acidente fugindo da responsabilidade.  

 

Francinilda lamenta o fato de que a Justiça não seja igual para todos. “Sempre vou ter a esperança, enquanto eu puder ir atrás eu vou. Por mais que falem que não vai dar em nada, ainda prefiro acreditar que vai”, diz.

 

Confira reportagem completa no Jornal A Gazeta 

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Edição digital

Domingo, 29/11/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 61,50 -0,81%

Algodão R$ 126,42 0,73%

Boi à vista R$ 252,95 0,03%

Soja Disponível R$ 160,00 0,63%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.