Publicidade

Cuiabá, Quarta-feira 12/08/2020

Cidades - A | + A

reforço de policiais 07.06.2020 | 16h02

Manifestantes evitam aglomeração em ato contra Bolsonaro

Facebook Print google plus

(Atualizada às 17h10) - O protesto avança pela avenida Isaac Póvoas e ocorrendo com tranquilidade e acompanhado de perto pela polícia, tanto no chão como o helicóptero da PM. 

 

Uma das organizadoras da manifestação e responsável por fazer a convocação no Facebook, Analu Mello Ferreira, disse que passou um tempo fora do Brasil e viu que o povo francês é politicamente ativo e luta por seus direitos. Segundo ela, a pandemia da covid-19 afastou a população de participar presencialmente da manifestação. 

 

"Eles se aproveitam do fato da gente não poder estar nas ruas para fazer o que quiser sem nenhuma oposição. As pessoas estão lutando e é um sacrifício conseguir uma ajuda de R$ 600 mensais. Não importa o quanto a gente consiga subir hastags no Twitter, isso é válido, mas tem que estar nas ruas", disse.

 

 

(Atualizada às 16h02) - Um ano depois dos protestos contra os cortes nos recursos da educação, os movimentos sociais furaram a quarentena para protestar contra o que chamam de escalada fascista do governo Bolsonaro. No entanto, a presença do vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, em Cuiabá neste domingo (7) levou a Polícia Militar reforçar o policiamento no centro da cidade. 

 

Apesar do volume de pessoas, os manifestantes tentaram não se aglomerar e distribuíram álcool em gel, água, luva e máscara aos manifestantes. 

 

Francisco Mendes

Protesto contra Bolsonaro

 

O protesto foi marcado via redes sociais e teve a concentração na Praça Alencastro. Depois seguiu pelas ruas do centro da cidade. Os organizadores disseram que o ato foi apenas o primeiro e que novas manifestações devem acontecer nos próximos dias, seguindo os atos que acontecem nos Estados Unidos contra o racismo e em outros estados do Brasil. 

 

Contra o racismo
Os manifestantes empunhavam faixas e cartazes pedindo o fim do racismo e cobrando Justiça para o caso Miguel e lembraram as últimas palavras de George Floyd: "Eu não consigo respirar".

 

Em outro momento, os manifestandes deitaram no chão para lembrar dos negros que sofrem repressão policial no Brasil e no mundo, o gesto tem sido repetido nos protestos contra o racismo. 

 

 

 

Galeria de fotos

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

ROSINO BOMFIM - 08/06/2020

CADA VEZ MAIS O PRESIDENTE CAI !!"nas graças da população HONESTA".

Marcos - 07/06/2020

Perfil dos manifestantes: Maria vai com as outras. Não tem coisa ultil pra fazerem e ficam fazendo coisas inúteis que não somam nada.

2 comentários

1 de 1

Enquete

Toda a polêmica envolvendo a morte da adolescente é por dúvida se o tiro foi acidental?

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 12/08/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,65 0,77%

Algodão R$ 90,03 0,52%

Boi a Vista R$ 135,70 -0,11%

Soja Disponível R$ 69,90 -0,14%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.