Publicidade

Cuiabá, Quinta-feira 03/12/2020

Cidades - A | + A

'Sem inocência' 21.08.2020 | 14h56

MPE instaura inquérito para apurar apologia ao estupro em comentários de padre

Facebook Print google plus

Montagem

Montagem

O Ministério Público Estadual (MPE) instaurou inquérito para apurar a conduta do padre Ramiro José Perotto, da Paróquia São Paulo Apóstolo, de Carlinda (762 km ao norte de Cuiabá). Comentários do sacerdote viralizaram, após ele afirmar que a menina de 10 anos, vítima de estupro no Espírito Santo, “gosta de dar”.


O procedimento foi instaurado pela promotora Lais Liane Resende, de Alta Floresta, nesta sexta-feira (21). Além do procedimento administrativo, o órgão enviou ofício à igreja, para que informe as providências sobre a conduta do pároco.


Segundo o inquérito, a investigação pode averiguar possível crime de apologia ao estupro por conta dos comentários do padre, na modalidade de incentivo. “Quanto aos danos individuais, causados à vítima, devem ser apurados no local em que a família tomar conhecimento dos fatos”, informou a assessoria do MPE.

 

Leia também - Veja carta – Padre assume comentários e pede desculpas

 

A investigação também será conduzida pela Polícia Judiciária Civil. O delegado Pablo Bonifácio Carneiro, que responde por Carlinda, instaurou Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), pelo cometimento do crime de apologia ao estupro, supostamente praticado pela autoridade religiosa.


“Destaca-se que tais afirmações, mormente advindas de uma autoridade religiosa, numa região onde existe o exacerbado número de estupros de vulneráveis, podem sugerir um fomento à prática de delitos desta natureza, sendo uma instigação indireta a este crime classificado como hediondo”, diz o delegado, em trecho do despacho.


Até a tarde de quinta-feira (21), a Diocese Sagrado Coração de Jesus de Sinop, responsável pela Paróquia de Carlinda, se reuniu para discutir o afastamento do padre, mas ainda não se manifestou após a polêmica. 


O caso

De acordo com o padre, ouvido pelo , ele fez o comentário após republicar a mensagem do presidente da CNBB, Dom Walmor Oliveira de Azevedo.


Conforme o print, o pároco iniciou a discussão em seu perfil no Facebook, sobre o caso da menina de 10 anos que era estuprada pelo tio desde os 4, no Espírito Santo. A criança realizou aborto legal, com respaldo da justiça, após a gravidez proveniente dos abusos constantes.


Respondendo as pessoas, ele afirma que ela aceitou os abusos. “Ela compactuou com tudo e agora é menina inocente”, diz, após rir. “Gosta de dar então assuma as consequências”.


No entanto, ele diz que as pessoas distorceram suas palavras e até mesmo o print que viralizou. “Começamos a conversar e eu falei que o que nós temos hoje uma sociedade erotizada, as crianças visualizam erotismo até no desenho animado. Tem criança de 10 anos que é inocente, e tem criança que não é. Mas eu jamais colocaria aquela mensagem, printaram e apagaram o nome da pessoa, jogaram um monte de coisa que eu não disse”, conta.


Em carta aberta à imprensa, o padre pediu perdão pelos comentários, além de ter assumido a autoria deles. “Justifico que compartilho da defesa da vida, nunca condenar e tirar julgamentos. Não foi minha intenção proferir palavras de baixo calão, as quais não comungam com minha fé e minha crença na pessoa humana”, esclarece.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Aroldo F Araújo - 21/08/2020

Há a necessidade de investigar não só que ele disse como também, o que esse padre possa ter feito na vida pregressa.

1 comentários

1 de 1

Enquete

Com o resultado da eleição, você acredita em uma Cuiabá melhor a partir de 2021

Parcial

Edição digital

Quinta-feira, 03/12/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 60,00 -0,83%

Algodão R$ 126,90 -0,91%

Boi à vista R$ 252,62 -0,19%

Soja Disponível R$ 154,50 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.