Publicidade

Cuiabá, Segunda-feira 30/11/2020

Cidades - A | + A

conquista simbólica 07.10.2020 | 17h43

Mulher transexual nascida na periferia de Cuiabá é a primeira inscrita na OAB de MT

Facebook Print google plus
Izabelle Borges - Especial para o GD

izabelle@gazetadigital.com.br

Reprodução/Instagram

Reprodução/Instagram

Em Cuiabá, Daniella Veyga, 26, abriu as portas para a comunidade LGBTQ+ em uma das instituições de maior respeito de Mato Grosso. A mais nova inscrita na OAB em Mato Grosso já foi Rainha da Parada da Diversidade, em 2019, e diretora LGBT da União Nacional dos Estudantes. A moça comparilhou um desabafo direcionado às companheiras de luta.

 

O anúncio feito pelas redes sociais da ativista, rendeu mais de 2 mil likes e foi compartilhado por veículos de alcance nacional.

 

Embora seja a primeira inscrita no órgão, ela de fato não é advogada, exerce o cargo de estagiária em um escritório de advocacia na capital, já que ainda é graduanda de uma universidade particular de Cuiabá. Vale lembrar que não há advogadas transexuais em Mato Grosso.

 

Leia também - Alunos da Educação de Jovens e Adultos recebem 860 kits escolares

 

Dani, como é conhecida pelos próximos, conta com alegria sua trajetória de luta. “Sou filha da escolha pública, e tive toda minha educação feita em escola pública, sempre estudei e morei nas proximidades do Coxipó, com muito estudo passei em uma universidade privada com bolsa de 100%, o que possibilitou o meu estudo”, recorda.

 

Além disso, a moça diz que é uma enorme responsabilidade mostrar o quanto a capacidade técnica não está ligada à identidade de gênero e que deseja a ocupação nos locais em que antes eram negados. “Hoje eu abri as portas, mas quero que outras meninas a escancarem, e a cada dia possa vir mais trans para mostrar que todos os espaços são nossos por direito”, finaliza.

 

Em conversa com o , Nelson Freitas Neto, presidente da Comissão da Diversidade Sexual da OAB-MT, diz que receberam a sua inscrição, não só com alegria, mas também como um combustível para continuar o trabalho que a Ordem deve desenvolver com a advocacia mato-grossense e com a sociedade.

 

Inclusive, o órgão vê o momento como um reflexo da sociedade, onde o índice de violência contra a comunidade LGBTQ+, principalmente com os trans, “é muito cruel e perversa”. Segundo eles, falamos de índices altíssimos de morte, violência, preconceito, suicídio, evasão escolar e dificuldade de se inserir no mercado de trabalho e na própria sociedade.

 

Por esse motivo, Nelson demonstra felicidade e entusiasmo, já que, segundo ele, embora seja de maneira lenta, o órgão busca avançar. “Recebemos a sua inscrição, não só com alegria, mas também como um combustível para continuar o trabalho que a Ordem deve desenvolver com a advocacia mato-grossense e com a sociedade”, encerra.

 

Confira a publicação na íntegra

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Com o resultado da eleição, você acredita em uma Cuiabá melhor a partir de 2021

Parcial

Edição digital

Segunda-feira, 30/11/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 61,50 -0,81%

Algodão R$ 126,42 0,73%

Boi à vista R$ 252,95 0,03%

Soja Disponível R$ 160,00 0,63%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.