Publicidade

Cuiabá, Quarta-feira 13/11/2019

Cidades - A | + A

Força feminina 13.10.2019 | 17h42

Mulheres se destacam no agronegócio em Mato Grosso

Facebook Print google plus

Arquivo Pessoal

Arquivo Pessoal

Elas se destacam em vários setores e, em Mato Grosso, estado do agronegócio, tem aumentado o número de produtores e criadores do sexo feminino. Uma pesquisa da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio mostrou que em 2013, elas eram 13% no setor, cresceram para 31% em 2017 e não param de aumentar a participação nesse mercado concorrido.

 

Nascida e criada em fazendas, Maria Ester Tiziane Fava, ou melhor, Téia Fava, como ela é mais conhecida, teve a vida inteira marcada pelo agro. Filha de produtores rurais no Paraná, ela está em Mato Grosso há 27 anos e se destacou nacionalmente por uma iniciativa sustentável em sua fazenda.

 

Há 14 anos ela toca sozinha a fazenda e em meio a suspeitas e até caras feias, afirma que nunca foi desrespeitada por nenhum funcionários. “Sempre trabalhei em meio a homens e nunca fui desrespeitada. Depois que me separei não senti diferença, continuo sendo respeitada. Claro que existe o preconceito, mas às vezes vejo mais mulheres com preconceito do que os próprios homens”.

 

Leia também - Policiais viralizam na internet por interação com crianças em Sinop

 

Mesmo com uma vida inteira dedicada à fazenda, há 3 anos ela decidiu vender a propriedade e deixar a criação de gado. Mas o que poderia ser o fim, foi a abertura para um projeto que mudou não só a sua propriedade, mas toda a região. “Entrei no projeto Campos do Araguaia, que tem mais de 50 propriedades. Eles fazem um projeto desde a parte ambiental até a gestão. Em um ano e meio, o projeto fez uma virada na fazenda. Consegui intensificar o uso das áreas abertas e recuperar áreas degradadas”.

Arquivo Pessoal

Téia Fava

 

 

A mudança, que aumentou a área preservada na fazenda - de 2.052 hectares, são utilizados 820 -, recuperou as matas próximo às nascentes e aumentou a produtividade mesmo utilizando uma área menor. “Foi uma virada na minha história, hoje a água dos meus animais, qualquer pessoa pode beber, porque fechei as nascentes com mata nativa. E ainda quero plantar mais de 100 mangueiras na propriedade”, conta a criadora, que ficou em 3º lugar no prêmio Mulheres do Agro 2019, na categoria grandes propriedades.

 

Para Téia, Mato Grosso é um dos estados em que mais mulheres se dedicam à vida no campo, porém, ainda não têm muita visibilidade. “Somos muitas mulheres em Mato Grosso no agro e estamos crescendo. No Congresso Nacional de Mulheres no Agro, acredito que do nosso estado eram maioria”.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

O fraco desempenho de um time de futebol é culpa do técnico ou jogadores?

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 13/11/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21,70 0,46%

Algodão R$ 92,92 0,48%

Boi a Vista R$ 124,50 -1,19%

Soja Disponível R$ 68,20 -0,94%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.