Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 18/09/2020

Cidades - A | + A

DEU EM A GAZETA 09.08.2020 | 07h11

Pantanal levará 100 anos para recuperar vegetação atingida pelo fogo, aponta estudo

Facebook Print google plus

Mayke Toscano/ Secom

Mayke Toscano/ Secom

O Pantanal mato-grossense pode lever mais de um século para se recuperar das queimadas que destróem sua vegetação há dias neste ano. Levantamento do Instituto Centro de Vida (ICV) aponta que 95% dos focos de calor estão concentrados em áreas de vegetação nativa. O bioma, que já registrou 662 focos somente em julho, um aumento de 1.100% em comparação ao mesmo período do ano passado, está em alerta máximo sobre as queimadas, chamando atenção do mundo. Entre os impactos, também está o risco de extinção de animais no bioma, inclusive roedores e a onça -pintada. 

 

Coordenador de Inteligência Territorial do ICV, Vinícius Silgueiro, destaca a preocupação com o fogo sobre a vegetação nativa, que compromete habitats de espécies e a flora. “O fogo traz a pressão para que espécies se desloquem, há o risco de extinção de animais, inclusive da onça-pintada. O Pantanal não é um bioma acostumado a este tipo de incêndio. Não sabemos como vai ser a recuperação”. 

 

Leia também - Grupo de Cuiabá arrecada tampas de plástico para castrar animais de rua

 

Professor da faculdade de Engenharia Florestal da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), Ben Hur Marimon Junior, diz que, junto com todo o problema climático, ainda há pessoas que usam o fogo como ferramenta para abrir novas áreas. Salienta que a sensação de relaxamento de regras e fiscalização estimula queimadas irregulares. O professor explica que a maioria das florestas do Pantanal tem uma camada orgânica espessa e com malha de raiz densa, o que provoca a queima pelas raízes. “Esse fogo subterrâneo pode ficar durante meses queimando e destruindo toda camada orgânica”. 

 

Ben Hur afirma que o tempo de recuperação está ligado ao tipo de impacto do fogo e vai depender do tipo de vegetação. O problema é principalmente a repetição das queimadas. As matas secas podem se recuperar em 30 anos, se o fogo não for muito intenso. “No caso das florestas inundáveis, se queimarem, estiverem secas e num ano muito seco, com o fogo destruindo a camada orgânica e a malha de raízes, com certeza é mais de 100 anos para recuperar”.

 

Confira a reportagem completa na edição do Jornal A Gazeta

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

claudir - 10/08/2020

Não faz muito tempo o fogo devastou o Pantanal, tudo secou, virou um Nordeste de seco e logo depois recuperou, logo que digo, uns 8 anos, essa situação é cultural do povo nativo, e outra situação, 100 anos pra recuperar é muita mentira gente....

marcus - 10/08/2020

Com todo o meu respeito ao professor, acredito que ele esteja muito enganado quando ao tempo de recuperação do nosso pantanal. Basta pesquisar a recuperacao de nossos cerrados e matas. 100 anos é muito tempo, menos viu professor!

2 comentários

1 de 1

Enquete

Denúncias de mulheres contra agressores demoram vir à tona por conta de posição social?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 18/09/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,15 0,79%

Algodão R$ 92,61 0,03%

Boi a Vista R$ 128,00 0,00%

Soja Disponível R$ 66,10 0,46%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.