Publicidade

Cuiabá, Sábado 08/08/2020

Cidades - A | + A

DENÚNCIA 08.07.2020 | 18h42

Técnico pega covid e Estado se recusa a pagar dias de atestado

Facebook Print google plus

Reprodução

Reprodução

O técnico de enfermagem Fernandes Aquino denuncia a falta de pagamento por dias em que está de atestado médico. Ele atua no Hospital Regional de Colíder, ala destinada ao covid-19 e se contaminou pelo novo coronavírus, No entanto, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) se nega a pagar pelos dias em que ele está se recuperando afastado nas funções. A denúncia foi feita na rede social do trabalhador e também em programa da TV local.


Leia também - Allan Kardec deixa secretaria após divergência com governo

 

De acordo com a narrativa do técnico, ele foi contratado em abril para trabalhar em regime de plantão no combate a covid-19. Fernandes já atua no hospital há anos e agora fez o seletivo para o contrato emergencial aberto por conta da pandemia.


“Entrei nesse contrato em 29 de abril de 2020. Trabalhei um plantão no mês 4, no mês 5 eu fiz 14 plantões e no mês 6 fiz 14 plantões. No sábado passado (6), eu me senti mal, fiz exame e constatado que 25% do meu pulmão está com covid.

 

Comuniquei meu RH e o RH de Cuiabá, que eu estaria de atestado de 14 dias para tratamento de covid. A Secretaria do Estado e do hospital me informaram que esses dias de atestado eu não vou receber. Que eu sou regime de plantão e não tenho direito de receber”, contextualiza o servidor.


O homem está em casa se recuperando e a esposa também está doente. Ele relata que colegas morreram de covid no fim de semana por falta de atendimento e medicamento.


Ele ainda conta que, desde que foi contratado, ainda não recebeu salário. O primeiro pagamento ocorrerá em julho, de forma retroativa.


“A minha denúncia é: eu tenho direito de ir trabalhar, de me contaminar, mas não tenho direito de receber? Descontaram INSS de todos os meses, eu tenho direito de receber pelos dias trabalhados”, reclama.


No relato, o trabalhador anexa todos os documentos comprovando os pagamentos, consulta médica, atestado e receituário.


“Fica aqui o meu repúdio ao secretário Gilberto Figueiredo, a secretaria de Estado de Saúde e a toda corja que está lá em cima querendo ganhar dinheiro em cima da covid. Agora eu estou na minha casa, correndo risco de vida e sem o direito de receber”, declara.


Além do não pagamento dos plantões devido ao atestado médico, Fernandes denuncia condições precárias de trabalho no hospital de Colíder.


“Não temos local de repouso digno lá no covid, em Colíder. Nós, profissionais, dormimos no chão, quando dá pra dormir.

 

Falta local pra banho, falta local pra refeições, ar condicionado que não presta e deixa o funcionário no calor dia e noite, falta monitores para aferir SSVV, falta sedação para pacientes entubados, falta médico 24 hrs lá dentro, falta tanta coisa (sic)”, conclui.


Desde o início da pandemia, o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, relata que a pasta tem encontrado dificuldade para contratar servidores temporários. Mesmo reajustando os pagamento e oferecendo bonificações, os profissionais não se interessam pelas vagas disponíveis para atuarem no combate ao covid-19.


Outro lado

A Secretaria de Estadual de Saúde (SES-MT) informa que o Hospital Regional de Colíder cumpre com todas as medidas de segurança e de prevenção, inclusive com o fornecimento de EPIs aos seus trabalhadores.

Com relação à informação de falta de pagamento para profissional afastado por atestado médico, a SES-MT esclarece que o contrato emergencial de profissionais é remunerado mediante trabalho realizado, portanto, o atestado de afastamento suspende o contrato temporariamente – fato que impede a SES-MT de realizar pagamento de plantão não trabalhado.

No que se refere ao pagamento de plantões trabalhados em maio e junho, serão quitados na folha de pagamentos do dia 10 de julho.

 

 

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

AMLID - 09/07/2020

AINDA QUEREM QUE VOLTEM ÀS AULAS......carnificina só no EXECUTIVO.....

1 comentários

1 de 1

Enquete

Após a reabertura dos shoppings, você voltou a frequentar como antes da pandemia?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 07/08/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 22,00 -2,65%

Algodão R$ 92,88 -0,26%

Boi a Vista R$ 130,87 0,11%

Soja Disponível R$ 70,50 0,71%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.