Publicidade

Cuiabá, Quarta-feira 11/12/2019

Cidades - A | + A

Investidos R$ 8 milhões 26.10.2019 | 15h54

Torres são retiradas e avenida perde sua principal referência

Facebook Print google plus

João Vieira

João Vieira

As torres da avenida Edna Affi, popularmente conhecida como avenida das Torres por conta das estruturas metálicas que acompanham toda a via, começaram a ser substituídas por postes de concreto. A troca chegou na altura do bairro Santa Cruz na quinta-feira (24).

 

Em abril, os postes foram levados para o canteiro da via. Agora, as estruturas de ferro serão substituídas por outras de concreto que além de mais modernas, ocupam menos espaço. A troca será finalizada até o fim do ano.

 

Leia também - Após 4 meses, obras de viadutos ainda estão em fase inicial

 

De acordo com a Energisa, as torres foram substituídas para garantir melhor eficiência na rede de distribuição de energia, especialmente para a região do Coxipó. Além disso, a intenção é que a qualidade do fornecimento cresça.

 

“A demanda de energia na Capital vem aumentando e nosso planejamento estratégico identificou que daqui a três anos precisaremos de mais disponibilidade de energia do que a rede elétrica na região é capaz. Para evitar que ocorram problemas, já estamos fazendo as obras para que o desenvolvimento continue a pleno vapor”, diz o gerente de Manutenção de Subestações e Linhas da Energisa Mato Grosso, Luciano Vogel.

 

Para a obra, foram investidos cerca de R$ 8 milhões em 9,4 quilômetros de rede de 138 KV da Avenida das Torres, no trecho entre as subestações do Coxipó e Barro Duro.

 

Durante todo o período das obras serão realizadas interdições parciais nas pistas da avenida, com o aval e acompanhamento da Secretaria de Mobilidade Urbana de Cuiabá (Semob). A expectativa é fazer todas as intervenções sem interromper todo o trânsito e nos horários em que não há muito movimento, para impactar o mínimo possível na rotina da população.

 

A mudança estrutural para o abastecimento energético da cidade é também visual e simbólica para a região, uma vez que a presença das torres marcou até mesmo no nome da avenida.

 

Moradores próximos da avenida especulavam que a troca seria por conta da construção do viaduto José Maria Barbosa – Juca do Guaraná, que passará sobre a rotatória com o bairro Jardim Itália.

 

No começo do mês, a reportagem do conversou com moradores, que na época já sentiam o impacto da troca das Torres. “Estou preferindo a Estrada do Moinho, do que a agora ‘Avenida dos Palitão’, porque não vai ser mais avenida das Torres”, disse o engenheiro Durval Bertoldo, brincando com a troca da estrutura de metal pela de concreto.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Sobre o aumento no número de casamentos gays no Brasil no último ano

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 11/12/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 22,00 0,92%

Algodão R$ 90,88 -0,04%

Boi a Vista R$ 137,00 0,24%

Soja Disponível R$ 68,00 0,74%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.