Publicidade

Cuiabá, Sábado 30/05/2020

Cidades - A | + A

DIA MUNDIAL DA ÁGUA 22.03.2020 | 14h31

Vídeo mostra caminho das águas do rio Cuiabá às torneiras

Facebook Print google plus

João Vieira

João Vieira

Essencial para o consumo humano, a água supre as nossas necessidades de hidratação, higiene pessoal, preparo de alimentos e limpeza, além do lazer. Apesar do contato direto no dia a dia, o procedimento de tratamento da água é um trabalho invisível, já que 70% da distribuição água acontece embaixo da terra, desde a captação no rio até chegar as torneiras.


No Dia Mundial da Água, celebrado neste domingo (22), a reportagem do acompanhou o tratamento de água da capital na maior estação de Mato Grosso, a ETA Presidente Marques e ETA São Sebastião. Somente este complexo abastece cerca de 45% da população cuiabana.

João Vieira

Caminho das Águas / Águas de Cuiabá

 

De acordo com dados da Águas Cuiabá, o sistema Presidente Marques atende 20 reservatórios de bairros, além de 28.037 pessoas. Já o sistema São Sebastião atende 10 reservatórios, com capacidade de 30.800 m³. Esse valor compreende 98 bairros de Cuiabá, além de 175.099 habitantes.

 

Leia também - Prefeitura prepara kits de alimentos para alunos durante suspensão de aulas


A estrutura construída sobre o rio Cuiabá, no bairro Ribeirão do Lipa, foi realizada em 1969, antes da divisão de Mato Grosso. Além dos poços nos quintais de casas e chácaras, o município era abastecido por chafarizes e bicas.


Parte da tubulação ainda é antiga na capital. "Nós estamos trabalhando desde a captação do rio, tubulação, bomba, tratamento e reservatório. Nada está ficando pra trás, tudo estamos mexendo. Estamos fazendo uma obra que vai durar 30 anos", avalia o diretor executivo da Águas Cuiabá, William Figueiredo.


Confira as etapas do processo de tratamento de água


Primeira etapa: captação no Rio Cuiabá


A água é captada do rio Cuiabá, na região do Ribeirão do Lipa, e chega até a estação com folhas, bactérias e até mesmo peixes. Neste processo, ela percorre 5 km nas tubulações para chegar até a ETA São Sebastião.


Segunda etapa: coagulação


Assim que chega, a água bruta e "in natura" vai direto para os tanques por meio de canaletas. Ela passa por grades, para reter sujeiras maiores, como folhas, galhos, troncos e às vezes peixes.


"Aqui já temos a primeira dosagem, o primeiro insumo químico que usamos como coagulante, que é o sulfato de alumínio", explica o coordenador de tratamento de água, Carlos Santana Junior.


Terceira etapa: floculação


Em tanques menores, válvulas provocam uma turbulência na água. Com o agito, as partículas de sujeira são desestabilizadas e formam flocos, que se parecem espumas.


Carlos Santana comenta que nesse processo, a água passa por uma velocidade maior. "Nessas câmaras, com agitação mecanizada, nós formamos o floco propriamente dito, que é a sujeira que estava dissolvida na água, que se desprende e nesse primeiro momento ela sobe. Aqui é um processo de velocidade bem acentuado, com velocidade elevada, esses flocos ficam em suspensão".


Quarta etapa: decantação e filtração


Após a floculação, a água segue para os tanques de decantação, até os pesados flocos de sujeira "descerem". A água já está com a cor mais clarificada.


"Nos decantadores, que são esses quatro tanques bem consideráveis, a velocidade é mais lenta, mais controlada, pros flocos terem o tempo de decantar e sedimentar, e então descerem pro fundo do tanque. Por isso a gente vai ver que quanto mais pra frente dos decantadores, mais clarificada a água já vai estar", comenta o coordenador.

João Vieira

Caminho das Águas / Águas de Cuiabá

 

Apesar da visível diferença da água bruta para a água da decantação, ela ainda precisa passar pelo processo de filtração, para remover a turbidez e o que restou de cor da água. Além de claro, barrar os microorganismos que podem causar danos à saúde humana.


"É um controle físico que a gente faz pra minimizar a incididencia de bacterias e protozoarios na água", fala sobre a importância da filtração.


Após ser filtrada, flúor e cloro são acrescentados, para garantir que a água chegue desinfetada até a casa do consumidor. O fluór, adicionado desde maio de 2018 na distribuição cuiabana, previne as cáries da população.

 

Veja vídeo

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

A constante troca de ministros pelo presidente Jair Bolsonaro compromete a sua gestão?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 29/05/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 18,25 1,39%

Algodão R$ 94,67 0,04%

Boi a Vista R$ 133,12 0,51%

Soja Disponível R$ 69,20 -0,72%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.